Principal / NEPHILIN / SÉRIE GIGANTES NA TERRA: A GUERRA GENÉTICA DE YHWH[PARTE II]

SÉRIE GIGANTES NA TERRA: A GUERRA GENÉTICA DE YHWH[PARTE II]

A PRIMEIRA GUERRA GENÉTICA DE YHWH

DNA : A Árvore da Vida? Se assim for, este bit de informação pode revolucionar a nossa compreensão de Gênesis 3, a Bíblia … e da história humana. Imagem de Ilustrações Robert Finkbeiner
 
 
A fim de parar a espoliação de sua criação por estes rebeldes “deuses menores”, os anjos caídos, YHWH criou o homo sapiens para suplantar e, eventualmente, destruir sua prole abominável que estavam correndo soltos por toda a Sua Criação. YHWH, de acordo com o livro de Gênesis, criou o homo sapiens perfeito , a humanidade à Sua própria imagem perfeita. Ele então colocou Adão num ambiente perfeito – o “Jardim do Éden”. Adão tinha sido especialmente concebido para o Jardim, e o Jardim foi especialmente concebido para Adão – ambos foram projetados para a perfeita shalom, equilibrados um com o outro. Se Adão e sua esposa, Eva, tivessem permanecido leais a YHWH, teria sido proveitoso, se multiplicado, e subjugado a Terra, lenta mas seguramente, transformando toda a Terra em um paraíso edênico. Além disso, no processo de ”lento mas seguramente” dominar a Terra, eles também teriam lenta mas seguramente, suplantado e destruido as amaldiçoadas cepas artificialis.
No entanto, sua caminhada perfeita com Deus foi interrompida quando uma “serpente” os tentou a comer o “fruto” de uma “árvore” que foi proibido para eles. (Gênesis 2-3). Embora a maioria dos intérpretes acreditem que esta árvore fosse uma árvore literal e o pecado de comer o fruto seria simplesmente o pecado da desobediência as diretivas de Deus, há uma outra explicação mais significativa- de que a árvore que eles eram proibidos de comer era de fato simbolo de um tipo de variante de DNA. Neste cenário, Adão e Eva como homo sapiens representam uma forma primitiva de DNA, simbolizado pela “Árvore da Vida”, em oposição ao DNA da raça pré-adamicado homo artificialis , que foi simbolizado pela árvore “do conhecimento “. “A Queda”, então, não foi apenas a quebra de um ato de confiança em YHWH, no entanto, foi certamente parte dela. A queda foi causada pelo casamento entre Adão e Eva e seus descendentes e a raça pré-adâmica misteriosa, o resultado foi que a pureza genética do homo sapiens foi comprometida.
Em suma, o novo homo sapiens , que tinha a intenção de substituir o antigo homo artificialis , em vez de substituí-lo,  fundiu-se com ele e, assim, na verdade, ajudou em sua continuidade. Como resultado, Adão e os descendentes de Eva – salvando-se uns poucos escolhidos – perderam seu status de geneticamente puros, tornando-se corrompidos pelo DNA do gigante artificialis que eles tinham a intenção de substituir e a estratégia de YHWH de eliminação gradual dos pré-adamitas foi anulada. Esta foi a primeira etapa da “guerra genética” em curso entre YHWH e os rebeldes, foi uma guerra por procuração , que estabeleceu o padrão para o resto da história humana, onde a “semente genética da mulher” estaria constantemente lutando contra a ”semente genética da serpente “para o domínio da Terra:
 
 15  Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente[*] dela; este lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar.
[*] Ou a descendência. Hebraico: semente.

Gênesis 3:15

 
 
 SEGUNDA GUERRA GENÉTICA
 
GIGANTES NA ÉPOCA DE ADÃO
 
 
 
Na segunda fase da guerra genética YHWH contra os gigantes, de Adão a Noé “a semente da mulher”(homo sapiens)permaneceu relativamente pura por um tempo. No entanto, após passarem várias gerações, tornou-se cada vez mais comprometida ao ponto do homo sapiens puro se tornar quase extinto. homo artificialis com o seu tamanho superior e sofisticação tecnológica, rapidamente tomou vantagem na “guerra entre as sementes” genéticas, com conseqüências diretas para toda a humanidade – e até mesmo para à própria Terra.   
Embora a evidência de anjos caídos interagindo com a Criação de Deus antes da criação de Adão ainda seja largamente especulativa,  a partir da perspectiva teológica, as evidências de adulteração de anjos caídos com o homem e seu ambiente , após a criação de Adão é bastante substancial. Numerosos teólogos têm ponderado sobre esta passagem enigmática em Gênesis 6, onde um evento muito raro e bastante sinistro ocorreu:
 
 1  Quando os homens começaram a multiplicar-se na terra e lhes nasceram filhas,
 2  os filhos de Deus viram que as filhas dos homens eram bonitas, e escolheram para si aquelas que lhes agradaram.
 3  Então disse o Senhor: “Por causa da perversidade do homem[1], meu Espírito[2] não contenderá com ele[3] para sempre; ele só viverá cento e vinte anos”.
[1] Ou Por ser o homem mortal
[2] Ou o espírito que lhe dei
[3] Ou não permanecerá nele
 4  Naqueles dias havia nefilins[4] na terra, e também posteriormente, quando os filhos de Deus possuíram as filhas dos homens e elas lhes deram filhos. Eles foram os heróis do passado, homens famosos.
[4] Possivelmente gigantes ou homens poderosos. Veja também Nm 13.33.

Gênesis 6:1-4

 
Considerando que a fonte de alguns estudiosos críticos tendem a rejeitar Gênesis 6 classificando-o como “um fragmento ou mito retirado de contos do antigo Oriente Próximo “,  e alguns até vão mais longe, descrevendo-o como uma “pedra  rachada e  errática”, que não pertence ao que eles conhecem como uma história de  forma homogênea, outros a vêem como uma etapa importante no tema subjacente do Antigo Testamento, e talvez de toda a Bíblia – da guerra entre YHWH e os rebeldes, descritos em Gênesis 6 como “os filhos de Deus “… 
 
Azazel levou os anjos rebeldes para a Terra recém-formada. Foram Chamados de “filhos de Deus”,hoje são “anjos caídos”, demônios e diabos. Estes seres parecem ser uma facção dissidente do exército celeste, que, em tempos mais antigos, vieram à Terra para os reinos humanos. Imagem acima é de Ilustrações Dore para “Paradise Lost”
 

 OS ”FILHOS DE DEUS”

A identidade dos “filhos de Deus”, mencionado em Gênesis 6, os progenitores dos gigantes, tem sido objeto de uma quantidade significativa de especulação. Estudiosos apontam que a palavra “Deus” no Antigo Testamento, é geralmente no hebraico elohim , literalmente, “deuses” no plural. Isto tem causado consternação ,não pequena, entre os estudiosos que querem conciliar agressivamente a religião monoteísta Yahwistica com o uso frequente na Bíblia de um nome divino que indica que Deus é realmente uma pluralidade de divindades. Como explica Cooke, “Qualquer investigação séria das concepções de Deus no Antigo Testamento deve lidar com referências recorrentes que sugerem uma concepção pluralista da divindade. Seres que não são Yahweh são referidos várias vezes como” filhos “ou como uma” assembleia “,” conselho “, etc . O que essas referências significam? Referem-se a seres divinos ou a entidades humanas? Como eles estão relacionados com o Deus de Israel?” 

Os argumentos sobre a identidade desses misteriosos “filhos de Deus” geralmente se divide em três interpretações básicas:
 
 
1- O “filhos de Deus” são os descendentes de Seth:
Os “filhos de Deus” são os setitas (cf. 5:1-3 ), enquanto as “filhas dos homens” são da linhagem dos Cainitas. A favor deste ponto de vista está a divisão da raça humana em duas linhagens de descendência nos capítulos anteriores (04:17 – 05:32) , mas contra ele estão os argumentos que, desde que ‘homem’ ( ha adam ) é usado no verso 1 para designar a humanidade em geral, é improvável que signifique apenas um ”grupo” da humanidade no versículo 2 , e que “filhos de Deus” não aparece como um termo coletivo para os setitas, tanto nestes capítulos ou como em outro lugar.
 
2- O “filhos de Deus” são seres celestiais:
Os “filhos de Deus” são seres celestiais, que acasalaram com mulheres terrenas. Em favor dessa interpretação esta o uso regular de “filhos de Deus”  para a corte celestial que envolve o Senhor (eg, Sl 29:1. , 89:7 ; Jó 1:6 ). Há uma prima facie para supor que ambos os nephilins e gibborins do versículo 4 ) devem ser considerados como os filhos de tais uniões, embora tenha sido argumentado que a estrutura do verso 4 deliberadamente afirma a existência do Nephilim antes das ‘assembleias” do verso 2 ). Podemos deixar de lado, no entanto, o problema da origem do Nephilim, e note que a maioria da opinião acadêmica suporta a identificação dos “filhos de Deus” como seres celestiais.
 
3- Os “filhos de Deus” são déspotas totalitários

os “filhos de Deus” são os governantes dinásticos que, como déspotas orientais, com haréns reais estabelecidos pela força ou que praticaram o estupro indiscriminado. Essa visão tem o mérito de levar a sério a frase ”eles tomaram para si mulheres de todas as que escolheram”…. No entanto, a identificação dos “filhos de Deus” como os governantes humanos tem a fraqueza que raramente usamos, se alguma vez atestada no antigo Oriente Próximo como um termo para reis em geral.

Miguel e os anjos leais derrotaram “o dragão”, Satanás e os anjos rebeldes e fazendo-os descer do céu para a Terra. Imagem de Gustave Doré “A Virgem  Coroada: A Visão de João”- Apocalipse 12 – em Ilustrações da Bíblia Dore .

Embora as outras teorias tenham seus méritos, a resposta mais clara é que os filhos de Deus eram (e são) os seres celestiais. Teólogos estão  geralmente de acordo de que YHWH é apresentado na Bíblia como o Deus principal de um panteão de divindades menores, genericamente chamadas de “filhos de Deus”. Embora a maioria desses seres divinos, normalmente referidos como “anjos” da Bíblia, permaneceram fiéis a YHWH, alguns optaram por se rebelar contra ele e suas diretivas divinas. A base para esta firmação esta Apocalipse 12:3-4 , que fala de até um terço dos anjos se rebelaram. Embora não seja claro exatamente quantos deste exército celestial se revoltaram contra YHWH, alguns especulam que eles são como  descritos simbolicamente como “estrelas” no texto – seguindo Semjaza, Azazel e um grupo de outros anjos poderosos, em rebelião contra YHWH: “Em seguida, outro sinal no céu: um enorme dragão vermelho com sete cabeças e dez chifres e sete coroas sobre as cabeças. Sua cauda varreu uma terça parte das estrelas. do céu e lançou-as sobre a terra. “ Estas “estrelas cadentes” são geralmente consideradas por teólogos como a serem os anjos caídos – os mesmos anjos caídos que tentaram Adão e Eva no Jardim, e continuaram a ter um efeito maligno sobre a humanidade desde então.
O “casamento” entre esses anjos caídos e os gigantes continuou firme durante o período ante diluviano. Sem terem dado qualquer bola para as consequências que tais ações poderiam ter sobre a bem-ordenada Criação de YHWH , os anjos caídos continuaram a visitar e a modificar geneticamente as suas criações horríveis, fazer melhorias em suas capacidades físicas e mentais, bem como dando-lhes conhecimento e presentes da tecnologia que eles poderiam usar em sua busca para governar o mundo. Estes “presentes” incluíam habilidades como a capacidade de desenvolver ferramentas e armas, ler os sinais e as estações nas estrelas, destilar medicamentos a partir de plantas, e até mesmo usar cosméticos para realçar a beleza. No entanto, em vez de melhorar a sorte da humanidade, os anjos caídos nos deram “presentes inúteis” da tecnologia que realmente tinha o efeito de tornar as coisas mais piores. Como é descrito no Livro de Enoque:

Capítulo 8
1
Além disso, Azazyel ensinou os homens a fazerem espadas, facas, escudos, armaduras (ou peitorais), a fabricação de espelhos e a manufatura de braceletes e ornamentos, o uso de pinturas, o embelezamento das sobrancelhas, o uso de todo tipo selecionado de pedras valiosas, e toda sorte de corantes, para que o mundo fosse alterado.
2
A impiedade foi aumentada, a fornicação multiplicada; e eles transgrediram e corromperam todos os seus caminhos.
3
Amazarak ensinou todos os sortilégios, e divisores de raízes:
4
Armers ensinou a solução de sortilégios;
5
Barkayal ensinou os observadores das estrelas,
(9)

(9)obs: Observadores das estrelas. Astrólogos (Charles, p. 67).
6
Akibeel ensinou sinais;
7
Tamiel ensinou astronomia;
8
E Asaradel ensinou o movimento da lua,
9
E os homens, sendo destruídos, clamaram, e suas vozes romperam os céus.

 

O efeito de dar a humanidade a tecnologia e os métodos de manipulação da matéria, o que hoje conhecemos como “ciências”, apenas permitiu que os gigantes maus uma maior capacidade de perturbar ainda mais o shalom de outrora , que YHWH colocou bem ordenada no cosmos. Além disso, o perigo inerente ao casamento entre o humano e o divino é que isso resultaria na criação de uma “raça superior” de super seres  com uma vida útil praticamente ilimitada e capacidades superiores que poderia ser usadas para conquistar não só a Terra, mas ,se fosse possível, um ataque aos céus em si. Como Van Gemeren explica:

 A natureza perversa dos pensamentos do homem (6:5) pode ser inferida a partir de (6:3) . Ao  estar sob o juízo de Deus desde a Queda, o homem fez uma tentativa de contornar o plano de Deus ao ser atraído para o regime satânico de casamentos com seres demoníacos, com a esperança de prolongamento da vida. A super-raça resultante, produzida pelo casamento entre “os filhos de Deus”, e as filhas dos homens, é no julgamento de Deus a palavra  ”basar” (‘caracterizado por carne “, versículo 3). Por isso, também observamos que a super-raça de nephilim-gibborim foi caracterizada como pertencente à Terra. Para esmagar a tentativa de introduzir o homem no reino do divino, Deus soberanamente julgou e condenou  justamente a humanidade corrompida pela morte no dilúvio.

 

                            “Os Gigantes Atacando o Céu”, de Bernard Picart (1673-1733).

 Titanomaquia :
Foi a guerra entre os Titãs, liderados por Cronos, e os Deuses Olímpicos, liderados por Zeus, que definiria o domínio do universo. Zeus conseguiu vencer Cronos após resgatar seus irmãos depois de uma luta que durou dez anos.
Apesar de Zeus e companhia derrotar os titãs,  a titã Gaia deu à luz a gigantes , a fim de se vingar. Os gigantes fizeram guerra contra Zeus e os deuses celestiais, em uma batalha conhecida como a gigantomaquia , em que os gigantes foram completamente derrotados. Os gigantes Nephilim da Bíblia podem ter tentado derrubar o céu também. Imagem do link Mitologia Grega: Giants
 
O NEPHILIM
homo artificialis nephili
É em Gênesis 6, que Aos gigantes dado pela primeira vez um nome: o Nephilim . A partir da raiz hebraica nfl, “cair”, “descer”, ou ” ser jogado para baixo”, dependendo do tempo do verbo, a palavra “Nephilim” significa, literalmente, aqueles que vieram para baixo – neste caso , para a Terra(Hoje DOCUMENTÁRIOS de canais fechados como o The History Channel traduz como ”AQUELES QUE DESCERAM DOS CÉUS). Birney como explica: “A palavra” Nephilim “só ocorre aqui e em Números 13:33 . Em Números ele é usado nos anaquins, que eram de grande estatura. A LXX traduz “gigantes” , e outras antigas versões grega traduzem “assaltantes” ou “homens violentos”. Várias idéias foram amarrados à raiz NPL , a cair, por exemplo, a cair do céu (anjos caídos).
O Nephilim eram filhos gigantescos que resultaram da união de anjos caídos e “as filhas dos homens”, que se desenvolveram para serem de uma estatura enorme e dotados de uma arrogância titânica e uma sede de poder que rivalizava com a de seus pais satânicos . Como S.Quayle explica em sua obra seminal, Gênesis 6 ”Giants”: 
Os Nephilins que foram produzidos pela união ou manipulação dos anjos com a humanidade e eram muito diferentes de qualquer um dos seus pais. Isto, também, foi contra o plano de Deus para a Terra: onde que cada animal e ser humano deveriam se reproduzir “segundo sua espécie”[Gênesis 1:24]. Esta seja talvez, a melhor demonstração de que os pais dessas criaturas não eram simplesmente descendentes de Caim e Seth. Se o tivessem sido, teriam produzido descendência humanos, ao invés do Nephilim ou gigantes, ok? Os Nephilim eram mais do que simplesmente seres grandes ou gigantes no caminho do homem , gigantes são normalmente pensamento e idéias de hoje. Quando a Septuaginta grega foi criada, a palavra hebraica Nephilim foi traduzido para o grego como gegenes . Esta é a mesma palavra usada na mitologia grega para os “Titãs”, criaturas criadas através do cruzamento dos deuses gregos e os seres humanos. As palavras  “genes” e “genética” são construídos em torno da palavra mesma raiz gegenes ; genea que significa “raça” ou “tipo”. Assim, a escolha desta palavra sugere um componente genético para a criação desses gigantes ! 
 
 
Embora Quayle pareça promover a idéia de que os Nephilim eram realmente formados pela combinação do DNA dos anjos caídos e as mulheres humanas, uma vez que os anjos são espíritos e, portanto, supostamente não têm DNA(na forma como o conhecemos), sustentamos a tese de que os Nephilim eram seres geneticamente fabricados e criados a partir do material genético de várias espécies de animais pré-existentes. Assim, para encaixá-los em nosso paradigma científico, devemos oficialmente definir o termo Nephilim como uma subclasse de homo artificialis : homo artificialis nephili.
Assim, os anjos caídos não pessoalmente cruzaram com as filhas dos homens,  mas usaram seu intelecto divino para se aprofundarem nos segredos da Criação de YHWH e manipulá-lo para seus próprios propósitos. E a chave para criar ou recriar o homem, como nós temos (re)descoberto no século XX, é o genoma humano – DNA. Quayle aponta que o antecedente da palavra grega “gigantes” é a palavra gegenes , a partir do qual foi derivado da palavra grega gigantes (Gênesis 6:04, LXX), do qual, por sua vez deriva a palavra “gigante”(Em português). Além disso, gegenes , além de ser a raiz da palavra “gigante”, é também a raiz das palavras “genes”, “genética”, “genealogia”, e assim por diante. Assim, o conceito de manipulação genética foi “emendado” com o conceito antigo de gigantes. Quayle tem extensa pesquisa sobre o assunto também  descobriu algumas estatísticas científicas assustadoras :
 
 
”Enquanto ética moderna tem impedido os cientistas de perseguirem a eugenia (a criação dos mais perfeitos “super-homens”, modificando componentes genéticos humanos), é completamente possível que modificações nos componentes genéticos humanos poderiam criar um ser muito diferente do DNA humano. Uma dica do que pode resultar de uma tal modificação foi visto em Abril de 1997, quando os cientistas da Universidade Johns Hopkins em Baltimore revelou que eles tinham descoberto um gene em ratos que eles chamaram de gene do crescimento / diferenciação fator-8 (GDF-8). Quando as células ratos foram alteradas geneticamente para eliminar este gene, as criaturas que foram concebidos a partir desses ovos alterados cresceram com músculos enormes, tornando-se “super-ratos” para todos os efeitos práticos. , Escreveram os cientistas na revista científica Nature , “Nós interrompemos o gene GDF-8 pelo gene  em camundongos. [Camundongos sem o gene] são significativamente maiores do tipo animais selvagens  e mostraram um grande aumento generalizado da massa muscular esquelética. Músculos individuaus de animais mutantes pesavam duas a três vezes mais do que os de tipo dos animais selvagens . ” Agora note que esta novidade vai bem além do que seria visto se aos animais fosse simplesmente dado um hormônio de crescimento. Esses animais, com o gene GDF-8, não eram só mais fortes, foram duas a três vezes maiores ! Em outras palavras, o super-ratos eram mais fortes e consideravelmente maiores do que seus irmãos e irmãs naturais por terem uma composição genética inalterada. Imagine um ser humano tão alterado, que é mais forte e duas ou três vezes maior do que uma pessoa média, e você verá o equivalente moderno dos antigos gigantes, os “poderosos homens” dos relatos bíblicos e titans gregos.
Quayle também aponta que os gigantes não sofriam de um desequilíbrio hormonal, mais conhecido hoje como ” gigantismo “, como aqueles que sofrem de gigantismo geralmente sofrem de uma série de doenças debilitantes que fazem o movimento para eles difícil e doloroso. Isto é bastante diferente dos poderosos, proporcionalmente bem constituídos, guerreiros atleticamente soberbos,  retratados na Bíblia(e em outros textos antigos)como heróis, guerreiros famosos . Assim, de acordo com Quayle, não é definitiva a prova de que a manipulação genética pode de fato resultar no desenvolvimento de uma versão gigantesca de uma espécie em particular – neste caso, os ratos. Mas pode o mesmo ser feito com os seres humanos? Poderemos saber em breve.
A literatura rabínica também confirma que os Nephilins eram na verdade  gigantes, espécie perversa da humanidade primitiva que existia antes do Dilúvio, e também depois, durante o tempo de Moisés. Newman explica:
 
 

Quanto aos “Nephilins”, os rabinos aparentemente os descreveram em Num 13:33 , onde o termo é associado com os anaquins na época do Êxodo. Com a dica e ajuda de Deut. 2:10-11 , 20-21 , obtivemos cinco outros nomes para os Nephilins  para descrevê-los usando um etimológico jogo de palavras. Dois destes soam bastante sobrenaturai:

1- “Gibborim: … a medula do osso da coxa de cada um era de dezoito côvados de comprimento”.     
2-“Anakim:… seus pescoços atingiram o sol.” O termo “Nephilim” é entendido como ensinamento de que “eles atiraram ( haphilu ) o mundo para baixo, ou caiu-se ( nephelu ) no mundo, e encheu o mundo de abortos ( Nephilim ) através de sua imoralidade.  
 
 
Como Newman assinala, várias subclasses de Nephilins parecem ter existido antes do dilúvio, e também depois. Um daqueles que existiam antes do Dilúvio eram os “Gibborins”, os “poderosos homens de outrora”.
 
 
Um governante arquetípico antediluviano. Imagem de Conan, o Bárbaro , © 1981 Universal Pictures .
 
 
O GIBBORIM
homo artificialis nephilim gibbori
O “Gibborim” foram os “heróis de outrora, homens de renome” mencionados em Gênesis 6, que eram os descendentes dos nefilim. Newman como explica: “Em Gen 6:04 a palavra nephilim é traduzida como gigantes sem variação textual. A palavra grega, normalmente traduzida como “gigantes”, indica um guerreiro de grande estatura e se traduz gibbor em Gênesis 10:08, 9 .  O Nephilim, bem como sendo geneticamente modificados pelos anjos caídos, aparentemente procriaram entre si, ao mesmo tempo, bem como procriaram com o  homo sapiens , resultando na criação de uma subclasse de gigantes conhecida como gibborim . Não tão alto como o Nephilim – mas eram provavelmente gigantes  entre os gigantes, dezenas,  de metros de altura, caso devamos acreditar no  midrash  – o Gibborim eram provavelmente do tamanho de Golias, na faixa de 3-4 metros de altura. Para ajudar a diferenciar os vários tipos diferentes de gigantes mencionados na Bíblia, vamos classificar este tipo de homo artificialis nephili / homo sapiens híbrido como homo artificialis nephilim gibbori “, Gibborim”, para encurtar.
O casamento entre o Nephilim semi-divino, e os Cainitas e, eventualmente, até os setitas,  levou à quase extinção de todos da linhagem pura Adâmica de homo sapiens,  poucos ainda  viviam na Terra perto do fim do período antediluviano e DeLoach explica como em seu clássico, Gigantes: Um Guia de Referência da História, a Bíblia, e Lendas  
 
Os anjos caídos em carne humana evoluíram até ao primeiro dia do dilúvio,  a quem Moisés chamou de “Nephilim”, e continuaram a casar-se com as filhas  descendentes de Adão. Essas uniões ilícitas, tendo tornado-se muito comuns, que agora se coloca como a ameaça mais grave ao plano de Deus para a redenção de Seu povo. A situação foi esta: por necessidade absoluta, o Anjo do Senhor Todo-Poderoso que prometeu vir e resgatar a caída família Adâmica através de um Messias que tinha que nascer geneticamente puro. Mas ao longo dos séculos, as duas vertentes da linhagens genéticas estavam tão completamente integradas que o sangue Nephilim  agora “poluía” virtualmente todos os descendentes de Adão. No tempo de Noé, esta condição atingiu o ápice da crise, como o comentarista HB Pratt explica, “Há, por exemplo, aqueles que supõem que aqui, como no caso da esposa de Caim, que havia duas raças distintas de homens no mundo, o adâmica e a pré-Adâmica( incluída na corrida genética, com metade bestial) a mistura de duas raças que causou a desolação moral que é mencionada, e que quando o texto hebraico diz que … “Noé era um homem justo e perfeito em suas gerações , ‘[que significa] que ele estava de ações puras e sem contaminação genética“. 
 
 
Embora os Gibborins mestiços fossem superiores em sua maioria aos homo sapiens , o eram tambem na ambição, por serem uma raça de seres superiores. O   mundo estava cheio de Alexandres, Hitlers, e Genghis Khans, Stalins ,os quais eram fisicamente superiores aos Arnold Schwartzeneggers, intelectualmente superiores a Albert Einstein e, mais maquiavélicos do que Maquiavel , mas não iam ficar tranquilos por muito tempo. O casamento entre os Nephilim, os Cainitas e, eventualmente, até o setitas levou a uma condição de extrema ilegalidade e impiedade no mundo , o que YHWH achou intolerável. De Loach continua:
Além da mistura da família de Adão, o intercasamento foi outro grande mal. Quanto mais as duas raças se misturavam mais os filhos de Adão caiam sob as más influências dos Nephilim . Eles não só aprovaram as maneiras desenfreadas desses rebeldes contra o céu, mas também eles se entregaram a seus próprios apetites carnais e praticavam os prazeres mundanos sem restrição. E assim aconteceu que a maioria dos humanos ainda se afundaram nas profundezas da depravação moral e espiritual. Mas aqueles poucos que lamentaram que o mundo estava chegando ao fim ainda não tinha visto que o pior ainda iria acontecer. Quando essas criaturas evoluiram e copularam com os povos entre si , muitas das crianças nascidas deles cresciam com tamanhos surpreendentes. Tendo corpos que possuiam parte animal e parte humana, esses seres insolentes prepotentemente exibiam muito maior força física do que outros mortais. Assim dotados, então a guerra tornou-se naturalmente a sua principal ocupação e a pilhagem de seus vizinhos uma forma de vida. Como eram extremamente malignos como os seus pais Nephilim o foram, os Gibborins os superaram. De fato, com o aparecimento desses seres ímpios gigantescos, a maldade e violência  transbordaram na terra. Por causa deles, aliás, toda a ordem da criação foi rapidamente  subvertida.
 
 
O BALANÇO DE FORÇAS
equilíbrio da pacífica shalom do Jardim do Éden foi destruída pelos métodos tirânicos e guerreiros empregados pelos Nephilim. Em vez da riqueza obtida pelo trabalho honesto, os Nephilins, e seus filhos horríveis, os Gibborins, saqueavam a riqueza dos outros e os armazenavam para os efeitos do consumo exagerado ,  enquanto outros morriam de fome. Desprezando o trabalho duro e instituido por Deus para a vida matrimonial, o Gibborim o procurou apenas para os prazeres temporários, alcançando seus objetivos com o assassinato impiedoso, pilhagem e rapina. Em vez de amarem os seus vizinhos e trabalharem juntamente com eles para o bem comum, eles buscavam escravizá-los e  usá-lo como gado confinado, ou destruí-los caso não se submetessem. Nesses aspectos, o Nephilim ecoou em suas ações até os céus. Deus os rejeitou, assim como  seus de seus pais divinos. Kline explica:
“Dentro desta sucessão do bene elohim , a ordenança do casamento foi profanada e da extensão dos seus domínios foi conquistado pela violência, em vez do trabalho piedoso “.  
O Gibborim não criavam e nem produziam riquezas, e não acrescentaram nenhum valor à equação natural. Eles eram simplesmente parasitas gigantes que vivem do trabalho dos outros, dentro e fora da própria natureza. Além disso, ao tomar qualquer esposa que eles quisessem, tanto os artificialis e os sapiens , criavam e armazenavam vastos haréns de mulheres que traziam também as suas crianças do sexo feminino, eles reduziram a capacidade dos homens piedosos – cuja presença era benéfica para a Terra -de procriar e continuar. Desta forma, o Gibborim se multiplicou como um vírus à custa do hospedeiro: o desperdiçando recursos, matando as células saudáveis, e espalhando o DNA venenoso em todo o restante da Terra. No fim, usando as suas técnicas de assassinato, saque e rapina, o homo artificialis sistematicamente subverteu e destruíu homo sapiens criado por Deus .
Ainda que em face do que possa aparentemente parecer que homo artificialis venceu “corrida armamentista” genética(Uma tentativa de barrar o nascimento do Messias esmagador da cabeça da serpente)e, assim, provando ser uma espécie superior, o Gibborim venceria e eliminaria o homo sapiens para sempre, mas eles teriam finalmente desaparecido também. Sem o homo sapiens para explorar, teriam rapidamente destruído uns aos outros, destruindo toda a vida na Terra no processo. Sua necessidade de dominar e destruir caiu do vazio essencial de suas almas, que procuraram em vão encher de prazeres terrenos. Entretanto, quanto mais eles roubavam, mais vazia a sua alma tornava-se, e eles tiveram que conquistar e pilhar cada vez mais para preencher o vazio dentro deles, até toda a vida na Terra estar em perigo de ser destruída. E mesmo se tivessem conquistado o mundo inteiro, eles ainda teriam perdido suas almas. Clines descreve bem esta tendência hiperagressiva do Gibborim como “uma aceleração insana da Queda; ele é a auto-afirmação do  ponto central da destruição”. Sem a presença estável e produtiva do homo sapiens , os Gibborins não teriam ninguém para saquear e escravizar. Sem o “sal e luz” conservante, a influência do povo de Deus, o Gibborim teria voado em direção a um frenesi de conquista e destruição (o que, pouco antes do dilúvio, foi exatamente o que eles fizeram). Assim, ao eliminar sistematicamente o homo sapiens , o homo artificialis garantiu a sua própria extinção – provando que era, de fato, inferior.
 
O Gibborim inútil não criou nada de valor, e destruiu tudo de valor que eles tocavam. Como os buracos negros devorando a luz das estrelas, esses mortos-vivos devoraram toda a vida e luz onde quer que fossem, consumindo tudo e nada dando de retorno. Bem fez Judas ao descrevê-los e nos seus últimos dias as suas relações, quando ele os descreveu como “pastores que apascentam somente a si mesmos Eles são nuvens sem chuva, soprado pelo vento, árvores de outono, sem frutos e desenraizadas – duas vezes mortas São ondas furiosas… do mar, espumando as suas próprias sujidades, estrelas errantes, para quem mais negra escuridão tem sido reservado para sempre “.
(Judas 1:12-13)
A principal razão porque o Homo artificialis falhou e teve que ser destruído, é que estava fora do equilíbrio do seu ambiente(Uma criatura estranha à natureza criada por Deus maravilhoso). O apetite dos gigantes eram tão imenso que, a fim de se alimentar  e satisfazer seus desejos eles foram forçados a conquistar e saquear outros , e no processo eles destruíram as pessoas. Eram criaturas infitriadas na estrutura da natureza , o qual não tinha a estrutura necessária para criar esses recursos para alimentar seres gigantescos. Além disso, eles não prestaram atenção ao seu ambiente, cortando florestas inteiras, esgotando recursos naturais da Terra, e poluindo os lagos, rios e até mesmo os genes de homens e animais, a fim de realizar seu objetivo sem sentido de dominar a Terra. Mas de que serve a Terra se, no processo de conquistá-la, você a tem destruído? Em contraste, o homo sapiens tinha sido criado para se encaixar no ambiente terrestre, para colher e semear de acordo com as estações do ano, para adquirir riqueza através do trabalho duro, e não através de saques, para assim manter um equilíbrio harmonioso com a natureza, tirando apenas o quanto ele dela precisava , e retornando o resto. Se Adão e sua descendência continuassem com essa estratégia, toda a Terra teria, eventualmente, se transformado em um paraíso edênico. No entanto, ao rejeitar a YHWH e Sua shalom, a estratégia de gradualmente de se reproduzir lenta, mas seguramente dominar a Terra, em vez de serem tentados a seguir a estratégia de conquista ufanista ensinada pelos Nephilins, Adão e Eva se tornaram sujeitos às mesmas leis naturais que os Nephilins tinham quebrado. Preferindo os ganhos de curto prazo trazido pelos métodos utilizados pelos Nephilim, a humanidade perturbou o delicado equilíbrio com a Terra , que era necessário para ser verdadeiramente bem sucedido a longo prazo. Como resultado, a humanidade foi punida pela própria Terra que eles tinham a intenção de conquistar, como a Terra se reequilibrando e vomitando-os  com o dilúvio. (Cf. Levítico 18:24-28 ) Como explica Hendel, nesta visão real e fantástica da solução da natureza criada pelo Deus eterno, que tem suas leis próprias de equilíbrio, leia esta explicação que na opinião do Apocalink é muito ”show”:
 
‘Gen. 6:1-4 apresenta uma mistura de duas categorias: a de deuses e a dos mortais, e o surgimento e procriação de uma categoria híbrida de semideuses(Nephilins). É da natureza do mito o suprimir. Mary Douglas mostrou que os antigos israelitas tinham uma antiga preocupação com o pensamento(ou conceito)da supressão das anomalias nas leis dietéticas e nas leis(ou graus) de parentesco. Essas “leis de pureza”, como ela os chama, servem para manter “distintas as categorias da criação”. A mesma tendência destas leis vemos no trabalho em Gênesis 6:1-4. A mistura sexual dos filhos de Deus e as filhas dos homens cria um desequilíbrio e uma confusão na ordem cósmica. O nascimento dos semideuses(Nephilins-gibborins) ameaça o tecido do cosmos … A conclusão natural em Gênesis 6:1-4, de acordo com a lógica do mito, é o dilúvio – a destruição da humanidade e a aniquilação concomitante da doença. O desequilíbrio cósmico é resolvido por uma grande destruição, do qual nasce uma nova ordem.”

Uma representação de um buraco negro no processo em que devora uma estrela. O buraco negro é uma  pequena singularidade, talvez não maior do que o tamanho de uma toranja, o remanescente de uma estrela morta cuja gravidade é tão grande que  entrou em colapso. Agora, ele continua a sua existência devorando outras estrelas, fazendo um show espetacular à custa da destruição de algo útil. A luz que você vê na foto são os restos de uma estrela que o buraco negro está devorando, girando em torno da poderosa gravidade do buraco negro que fica no centro, dando a ilusão de que o buraco negro está emitindo luz, mas, na verdade, a devora. Tudo em todos, o buraco negro é uma metáfora apropriada para os anjos caídos e seus descendentes sem valor, os Nephilim.

Tudo em todos, o buraco negro é uma metáfora apropriada para os anjos caídos e seus descendentes sem valor, os Nephilim.

 -Imagem da página da NASA Starchild . Clique aqui para ver o vídeo.

 

 

 Paradise Lost by Simon Bisley

LÚCIFER
George Meredith (1829-1909) Imagem adaptada de “Fall of Day”, de William Rimmer do Museu de Belas Artes: Boston .
 
 
 
O GRANDE DILÚVIO
                        
Conclusão, no estágio dois da guerra genética, o “proxy” entre YHWH e os rebeldes, de Adão a Noé, os rebeldes ganharam a batalha, mas perderam a guerra.  A fim de destruir os Nephilins e os Gibborins malditos e restaurar o shalom(Equilíbrio natural entre Deus, o homem, e a Terra) Deus enviou o Dilúvio para ”deletar o programa”(de satan).  A fim de reestabelecer o equilíbrio, YHWH foi forçado a destruir toda a vida na Terra, a maioria dos quais tinha se tornado geneticamente contaminada, poluída, ou inutilizada. Como resultado do dilúvio, todo o trabalho dos anjos caídos tinham feito, quer corromper ou destruir homo sapiens foi  inutilizado, e sua vã tentativa de levantar um exército para guerrear contra o céu e barrar a vinda do Messias,  foi frustrado. Mas nem tudo estava perdido. YHWH tinha salvado um homem geneticamente puro, da linhagem de Sete, Noé, juntamente com seus três filhos e suas esposas, e uma amostragem de espécies animais não viciadas ( Gênesis 06:09 – 09:17 )Com efeito, embora os filhos de Seth tenham perdido as batalhas, YHWH havia vencido a guerra. Cumprindo a profecia de Gênesis 3:15 , o calcanhar do homem tinha sido ferido, mas a cabeça da serpente foi esmagada!
 
Como esta guerra genética envolveu todo o planeta, os mestres Nephilins e os seus exércitos Gibborins lutaram as batalhas finais contra os outros consortes para decidirem quem iria finalmente reger a Terra, Noé obedeceu YHWH e fechou as portas para o mundo ante diluviano. Logo depois, o mundo que existia, morreu. No entanto, apesar do dilúvio eliminar todos os Nephilins e Gibborins, seus progenitores – os anjos caídos, que não podem morrer – observaram e esperaram o momento em que poderiam começar a próxima fase da grande guerra genética novamente. 
 

GIGANTES NA ÉPOCA DE ABRAÃO

Mesmo os gigantes antigos tendo sido destruídos, seus pais, os anjos caídos, não o foram. Como resultado, tão logo as águas baixaram, o “mistério da iniqüidade” começou mais uma vez. A fase três da guerra entre YHWH e os rebeldes na verdade começou logo após Noé e sua família deixarem a arca, em um evento polêmico, que resultou na maldição da linhagem de Canaã, um dos filhos de Cam, filho de Noé. ( Gênesis 9:18-27 ). Neste caso, Noé, que havia bebido vinho de sua vinha, em uma aparente tentativa de ajudar a cumprir o mandamento de YHWH para repovoar a Terra, desmaiou na sua tenda em uma posição inconveniente. Cam, um dos três filhos de Noé, viu a nudez de seu pai, e, aparentemente, lidou com a situação completamente inadequada. Assim, de forma inadequada, de fato, em que Noé pôs uma maldição sobre Canaã, filho de Cam, estabelecendo o que alguns estudiosos se referem como “o tema cananeu” – um tema que estava a desempenhar um papel importante no resto do Velho Testamento.

”Estudiosos são muito divididos sobre esta questão, embora pareça que todos concordam que a ação foi de natureza sexual. Allen P. Ross em seu artigo, “A Maldição de Canaã” assinala que Cam “, representa mais claramente a Israel pelos egípcios e cananeus, agiu  errado em violar costumes sexuais considerados sagrados e como resultado teve uma linha de seus descendentes amaldiçoados com a subjugação. ” Cam e seu filho, Canaã, foram marcados com a marca de “pervertidos” e foram utilizados na narrativa do Gênesis para mostrar que os cananeus eram pervertidos sexuais desde o início e, portanto, mereciam ser destruídos.” 

A INIQUIDADE DOS AMORITAS

“Maldição de Noé a Canaã” ( Gênesis 9:18-27 ) por Gustave Dore. Da  Bíblia Ilustrada Dore .

Os cananeus, juntamente com os egípcios e, em geral, todos os descendentes de Cam ( Gênesis 10:6-20 ) foram retratadas em toda a Bíblia como sendo moralmente e eticamente perversos. Os cananeus, no entanto, foram descritos como sendo ”particularmente perversos”, como Noé tinha previsto quando colocou a maldição especificamente sobre Canaã. E como a história se desenrola, fica claro que a maldição de Noé tinha sido correta, como a linhagem de Canaã se tornou a linha através do qual os anjos caídos mais uma vez trabalharam a sua iniqüidade. Como resultado de tamanha maldade, os cananeus, que habitavam “a terra de Canaã” na costa oriental do Mediterrâneo, foram pintados na Bíblia como sendo irremediavelmente corruptos e marcados para destruição.
YHWH sabia que era apenas uma questão de tempo até que a maldade de Canaã teria de ser tratada novamente, e isto acabou por ser verdade. Após a época do Dilúvio (cerca de 10.000 aC), o mistério da iniqüidade trabalhou por 8.000 anos, levando a Terra até o ponto onde as condições, mais uma vez começaram a se assemelhar a que levou à necessidade do Dilúvio. A fim de pôr fim ao mistério da iniqüidade, YHWH levantou Abraão, um descendente puro de Sem. Abraão foi representante especial de YHWH, a quem ele iria usar para destruir os ímpios descendentes de Canaã, dando aos descendentes de Abraão a terra de Canaã como sua herança especial:
 13  Então o Senhorlhe disse: Saiba que os seus descendentes serão estrangeiros numa terra que não lhes pertencerá, onde também serão escravizados e oprimidos por quatrocentos anos.
 14  Mas eu castigarei a nação a quem servirão como escravos e, depois de tudo, sairão com muitos bens.
 15  Você, porém, irá em paz a seus antepassados e será sepultado em boa velhice.
 16  Na quarta geração, os seus descendentes voltarão para cá, porque a maldade dos amorreus ainda não atingiu a medida com­pleta.
 17  Depois que o sol se pôs e veio a escuridão, eis que um fogareiro esfumaçante, com uma tocha acesa, passou por entre os pedaços dos animais.
 18  Naquele dia o Senhor fez a seguinte aliança com Abrão: Aos seus descendentes dei esta terra, desde o ribeiro do Egito até o grande rio, o Eufrates:

Gênesis 15:13-18

Mas por que YHWH teve o plano de destruir os cananeus e dar suas terras para os descendentes de Abraão? Porque os anjos caídos mais uma vez invadiram a Terra, utilizando os cananeus a raça toda uma nova geração de Nephilim e Gibborim gigantes. E os anjos caídos, assim como YHWH, também tinham seu próprio representante especial – Amor, um descendente de Canaã. Amor, foi o pai dos “amorreus”, tornou-se o mais perverso de todos, a linhagem genética de que quem os anjos caídos começaram a recriação dos temidos Nephilins,  na terra de Canaã. Assim, enquanto YHWH estava criando os homens através da linhagem de Sem que eram mais justos, os anjos caídos os criaram através da linhagem de Cam que eram perversos – da mesma forma que tinham feito antes do Dilúvio. Por esta razão YHWH proibiu a Abraão de permanecer na terra de Canaã, em vez do planejamento para os seus descendentes, de peregrinar no Egito durante 400 anos. Isto permitiu que a “iniquidade dos amorreus” chegasse a sua maturidade, cheio de podres, enquanto os descendentes de Abraão cresciam fortes e numerosos em um ambiente mais seguro, e mais saudável longe de Canaã.
Os anjos caídos estavam ocupados no trabalho criar todos os novos exércitos de gigantes perversos que eles voltariam a usar para tentar conquistar o mundo. E, embora seu declínio moral extremo só tenha acontecido em seus primeiros estágios durante o tempo de Abraão, que era apenas uma questão de tempo até que esta “iniquidade dos amorreus” chegasse ao máximo.
Continua…

Comente com seu facebook

Comentário

Veja também

GIGANTES NEPHILIM DA BÍBLIA: Instituto dos EUA divulga documentos sigilosos sobre esqueletos humanos gigantes

Uma decisão da Corte Suprema dos EUA pediu que o Instituto Smithsoniano tornasse públicos documentos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *