Home / CONSTRUÇÕES SINISTRAS / CONSTRUÇÕES SINISTRAS: Símbolos Ocultos encontrados nos Murais do Bank of America

CONSTRUÇÕES SINISTRAS: Símbolos Ocultos encontrados nos Murais do Bank of America

mural1

Bem visíveis no saguão do ‘Bank of America’s Corporate Center’ existem símbolos ocultos “assustadores”. O mais perturbador é o fato de que essas imagens parecem prever acontecimentos de uma mudança radical do mundo em um futuro não muito distante. Os murais estão prevendo a vinda de uma Nova Ordem Mundial Ocultista? Vamos olhar para o significado oculto dos símbolos encontrados no Bank of America.

Pintado por Benjamin Longo, as pinturas são ditas girar em torno dos temas de “edifícios, caos/criatividade e planejamento/conhecimento de uma mistura ousada de abstrato e realismo, com toques de ouro”.

frescos-e1290462367636

As três obra pictóricas (afrescos) feita sobre as paredes do lobby do Bank of America Corporate Center

Embora normalmente lidos da esquerda para a direita, há indícios nas pinturas, insinuando os telespectadores para lerem os quadros da direita para a esquerda. O estágio de “planejamento” (visualmente representado pelas obras, à direita) é normalmente o primeiro passo de qualquer processo, de modo que faria sentido começar a partir daí. Há também o simbolismo alquímico insinuando para a cronologia das pinturas, então vamos começar com o da direita:

Pintura/Afresco da Direita

O afresco da direita é chamado de Planejamento/Conhecimento. Uma leitura de seu simbolismo esotérico revela exatamente o que está sendo planejado e a qual conhecimento está se referindo.

mural1

Garoto maçônico em um piso maçônico

Vemos aqui um menino loiro em um piso maçônica xadrez. Seus pés são colocados em um ângulo de 90 graus, de acordo com ritual de iniciação maçônica:

Q. No seu retorno à Loja, onde você foi colocado como o mais novo Aprendiz?

A. No canto nordeste, meus pés formam um ângulo reto, o meu corpo ereto, à direita do Venerável Mestre, no leste, um homem reto e maçônico, e foi-me dado a responsabilidade de sempre andar e agir como tal.“ – Malcolm C. Duncan, Duncan’s Masonic Ritual and Monitor

Aparentemente, debaixo do menino, estão pessoas vestidas em trajes de executivos, aparentemente de forma estratégica, enquanto apontam para o menino maçônico. Será que o menino representa a “nova geração”?

Esse garoto loiro lembra muito o rapaz loiro apresentado no centro de um dos murais do Aeroporto Internacional de Denver:

murals10-e1290196599774

O rapaz loiro martelando uma espada. Note que o rapaz está vestindo um traje tradicional da Baviera talvez… como os Illuminati de Baviera?

O Arbusto Ardente, a Mulher no Cubo e a Pirâmide

mural11-e1290197138641

Sobrecarregado de simbolismo


Atrás do menino, há uma árvore em chamas, que é uma referência ao Arbusto Ardente do Antigo Testamento. A sarça/arbusto ardente é de grande importância no ritual maçônico, especialmente para o grau 33, cujos membros são considerados como “juntos da Sarça Ardente”. “No terceiro êxodo é registrado que, enquanto Moisés estava apascentando o rebanho de Jetro, no Monte Horeb”, “o anjo do Senhor lhe apareceu em uma chama de fogo do meio de um arbusto”, e lá comunicou a ele pela primeira vez o seu Nome Inefável. Esta ocorrência é comemorada na Sarça Ardente do Arco Real. Em todos os sistemas da Antiguidade, o fogo é adotado como um símbolo da Divindade; e a Sarça Ardente, ou o arbusto cheio de fogo que não consome, de onde saiu o Tetragrammaton, o símbolo da Divina Luz e Verdade, é considerado nos avançados graus da maçonaria, como o Oriente na parte inferior, como a grande fonte da verdadeira  luz maçônica,  portanto Conselhos Supremos do trigésimo terceiro grau colocam suas balaústres ou documentos oficiais, perto da “S.A.” ou Sarça Ardente, para que pensem que eles são, em seu próprio rito, a fonte exclusiva de toda a instrução maçônica“. – Albert G. Mackey, Encyclopedia of Freemasonry, Part 1


No fundo há uma pirâmide egípcia, o símbolo máximo dos Mistérios nos ensinamentos ocultos.

Uma característica estranha da pintura é a mulher aparentemente presa dentro de um cubo transparente, pendurada em linhas vindas do céu. Ela representa o homem comum, preso nos confins do mundo material (ocultamente representado pelo cubo) e manipulado por forças invisíveis de cima?

Escadas e Sol Negro

mural13-e1290471380952

Escada de Jacó e um sol negro

À esquerda da imagem, há escadas, aparentemente levando para o céu, um símbolo clássico que representa o caminho para a iluminação e dos Illuminati através dos mistérios da Maçonaria.

A gravura retratando a escada maçônica que conduze a partir do piso maçônica para ”fora”

No céu, há um sol negro, outro símbolo de um significado esotérico. Tradições herméticas ensinam a existência de dois sóis, um invisível e etérico feito de “ouro filosófico” puro e outro do material, o único que um profano pode perceber, conhecido como o Sol Negro.

Na alquimia, o sol negro (Sol niger) é o nome do resultado da primeira fase do Magnum Opus. O Magnum Opus alquímico (ou Grande Obra) começa com o “escurecimento” – da calcinação de metais brutos – e termina com a sua transmutação em ouro puro.

Hoje, o símbolo do Sol Negro está associado principalmente com o nazismo e os cultos esotéricos, como o Templo de Set. Também é o sol negro encontrado em lugares estranhos, tais como:

3716458234_5df56a4bb7_z-e1290196224889

Bracken House, em Londres

…E, mais uma vez, o Aeroporto Internacional de Denver.

denver05_22-e1290196351935

Design do piso no aeroporto, representando um sol negro movendo-se em frente do sol dourado

O afresco direito, portanto, parece retratar o primeiro passo de uma “grande obra” que precisa ser realizada, como simbolicamente representada pelo sol negro. Homens vestidos de terno (um deles estranhamente parece Adam Weishaupt), parecem estar a preparar uma nova geração de jovens maçônicos. Enquanto isso, a pessoa “profana” parece estar em marcha lenta em um cubo translúcido, controlado por uma marionete invisível.

Pintura/Afresco do Meio

mural2

O afresco do meio, Caos/Criatividade, retrata um turbulento período de transição. Muitos detalhes na pintura descrevem essa turbulência profunda, que parece que vai afetar toda a parte da sociedade e da civilização. Nós encontramos figuras militares e religioss, pessoas que protestavam contra e muito mais.

fresci3-e1290283182280

Cordas, redes e soldados nas ruas dizem aos espectadores que este período de turbulência é também  de opressão. A freira não parece muito contente também

À esquerda da pintura, há uma pessoa vestindo uma roupa de risco biológico, sugerindo algum tipo de guerra química.

fresco41-e1290283740253

Pessoa com roupa de risco biológico/químico

Por esta razão, e muitos mais, acho que esta pintura muito semelhante a um dos murais do aeroporto de Denver… a mais infame.

denver-airport-mural-e1290284492917

Este mural do D.I.A. retrata uma figura militar vestindo uma máscara de gás e oprimindo uma fila interminável de pessoas tristes. Guerra química, a repressão militar, bebês mortos… há razões para gostar dessa imagem?

Se olharmos para o topo do afresco, vemos seres translúcidos girando com fogo, talvez o que implica que a crise também está acontecendo em um nível metafísico, cósmico ou astral.

fres5-e1290285310480

Corpos nus em um vórtice de fogo

Esta forma redonda ardente também pode ser comparada a um sol. Sua cor dourada pálida e a transparência dos seus valores podem ser associados com a etapa intermediária da grande obra alquímica chamada “branqueamento”. Jung comparou essa etapa com alvorada, a preparação para a próxima etapa final, que é o nascer do sol, que se caracteriza pela cor vermelha. Que é a cor mais proeminente do afresco/pintura à esquerda.

Pintura/Afresco da Esquerda

 

leftmural3

O afresco do lado esquerdo é dito concentrar-se sobre o tema “Fazer/Construir”. A figura principal do afresco é um trabalhador segurando uma pá, contemplando o trabalho feito. No bolso de trás, há um pedaço de pano vermelho, um detalhe simbólico no contexto da imagem. Há realmente uma grande ênfase na cor vermelha no afresco, que, como mencionado anteriormente, também é a cor associada com a etapa final do Magnum Opus alquímico: Rubedo, o “Trabalho Vermelho”.

Nos ensinamentos ocultos, transformação alquímica pode acontecer em vários níveis: a nível material, onde metais brutos são transmutados em ouro puro, mas também a nível espiritual e filosófico, onde o homem profano se torna um “homem regenerado”. Na tradição das sociedades secretas, o mundo inteiro é considerado como sendo objeto de transformação alquímica, é dito ser um plano imperfeito que necessita ser “transmutado em ouro” de forma a espelhar o céu, de acordo com o axioma hermético “tanto acima, como abaixo”. Seria a Nova Ordem Mundial, a  ”Grande Obra” da elite oculta?

 

Gigante Dormente

 

leftmural2-e1290455591720

Ele está morto ou dormindo? E o que o”EQ”, qual seu significado?

Um detalhe estranho do afresco é essa mistura de homem com a terra, aparentemente, em sono profundo… ou ele está enterrado? Esta é também uma reminiscência do menino dormindo (inquietante) nos murais daquele aeroporto.

b57af4df1920-e1290458453959

Um menino indefeso dormindo (ou morto) em um cobertor vermelho. Aparentemente, também há tijolos em torno dele e das outras crianças que dormem (?)

Qual é o Significado dos Afrescos/Pinturas?

Como a maioria de uma arte elitista, os afrescos em exposição na sede do Bank of America, o maior banco da América, conta uma história destinada a ser decodificado por aqueles que a conhecem. Os afrescos parecem descrever três estágios de transformação do mundo – o planejamento, o caos e a realização – e são codificados por cores para ser análogo ao das três fases da alquimia hermética: Nigredo (escuridão), Albedo (branco) e Rubedo (vermelhidão). Os afrescos mostram muitas semelhanças com as pinturas nos murais do Aeroporto Internacional de Denver, que também retratam fases progressivas de uma transformação profunda da sociedade após um período de turbulência intensa.

O primeiro afresco exibe uma grande variedade de símbolos ocultos, alguns se referindo diretamente à Maçonaria. Isso é espantoso pois a pintura está no átrio da sede do banco mais predominante dos Estados Unidos e não em uma loja maçônica… mas talvez haja algum motivo. Aqueles que estão “sabendo” e deram início aos mistérios, são aqueles que estão qualificados para realizarem o processo de planejamento, que nesta pintura parecem ser os homens de terno, cujos laços coincidem com o vermelho e branco do chão tipo “tabuleiro de xadrez”, e que fazem planos para a geração futura, representado pelo menino loiro maçônico.

No segundo afresco, distúrbios civis, revoltas, protestos e repressão estão ocorrendo. Historicamente, as massas só costumam ir a uma revolta total quando suas condições de vida deterioram significativamente ou quando políticas extremamente impopulares são adotadas. Será que esta peça se refere à perda das liberdades civis e ao surgimento de um estado policial? Há também um aspecto metafísico para a imagem, representada pelos corpos nus que aparecem como um sol, o que implica que o período de turbulência também está acontecendo em um nível cósmico.

O último afresco dá uma sensação de “missão cumprida”, com a figura dominante levantando do trabalho, ao mesmo tempo, transmitindo a mensagem de que “o trabalho nunca é totalmente acabado”,  com os outros trabalhadores ainda estão a trabalhar arduamente no subterrâneo. Isso nos faz lembrar do filme Metrópolis, onde uma classe de trabalhadores escravos trabalha em silêncio, há metros de profundidade para sustentarem a utopia que a elite dominante quer.

Conclusão

Os afrescos no Bank of America são um outro exemplo da agenda da elite que está sendo “escondida a vista de todos”. Estas imagens gigantes, em exposição para todos verem, mas concebidas para serem entendidas por poucos, descrevem a filosofia dos governantes de elite, os seus conhecimentos ocultistas e seus planos para o futuro. Como é o caso de todas as obras de arte, é possível interpretar essas pinturas em vários níveis e chegarmos a conclusões diferentes.

Quando comparamos os afrescos do Bank of America com a arte do Aeroporto Internacional de Denver e  as Pedras Guias da Geórgia, podemos encontrar uma consistência definida em seu simbolismo, seu tom e sua mensagem. Isso me leva a crer que é o mesmo grupo que está por trás de todos essas construções sinistras e muitos mais. Quem quer que sejam, sabemos algumas coisas com muita certeza: eles são extremamente ricos, extremamente poderosos e eles realmente não gostam de nós… porque eu, você e outros por ai, não somos um deles.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.