Principal / Uncategorized / PETRUS Romanus: Construindo a estrada para o último Papa (Parte 4)

PETRUS Romanus: Construindo a estrada para o último Papa (Parte 4)

A solidariedade entre o Papa Bento XVI e o cardeal Bertone remonta um longo caminho e certamente parece ter, pelo menos uma continuidade.  Depois de ser eleito papa em abril de 2005 e tomar o seu lugar como o sucessor de João Paulo II, como Soberano do Estado da Cidade do Vaticano e líder da Igreja Católica Romana, Ratzinger como “Papa Bento XVI” rapidamente nomeou o cardeal Bertone para substituir o co-conspirador Angelo Sodano como o Cardeal Secretário de Estado. Em 4 de abril de 2007, Bento XVI também nomeou Bertone como seu Camerlengo para administrar o cargo no caso de vacância do papado. Bento XVI já tomou decisões que indicam que Bertone poderia ser (ou já foi) a sua escolha para o sucessor, e ambos os homens , por vezes, parecem estar a favor de Bertone para o próximo conclave (final?). Isso foi observado em 13 de Maio de 2011 pelo artigo do National Catholic Report”, sobre papado de Bento XVI, e dicas do que está além,” quando o correspondente do NCR, John L. Allen Jr. falou do shake-up dentro da Cúria Romana(Cúria é o aparelho administrativo do Vaticano e, juntamente com o papa, o órgão central de gestão da Igreja Católica), no qual arcebispo italiano Giovanni Angelo Becciu foi nomeado Substituto para Assuntos Gerais pelo Papa Bento XVI. Becciu, que substituiu o arcebispo Fernando Filoni para o trabalho, parecia ser primeira seleção de um estranho de dentro do Vaticano. “Dado o quanto é difícil  dominar o papel [de Substituto], muitos observadores acharam curioso que Filoni saisse após menos de quatro anos, para ser substituído por alguém.  Becciu que não tem experiência anterior de todos os que trabalham no Vaticano “, observou o NCR. [i] Mas, então,  o serviço de notícias acrescentou,” Quando a poeira baixar, o beneficiário mais óbvio dessas ações parece ser o cardeal italiano Tarcisio Bertone, Secretário de Estado , que não terá que se preocupar com o novo substituto formando, ou um centro rival de poder “. [ii] O trabalho do Substituto para Assuntos Gerais tem sido descrito como a responsabilidade mais complicada e exigente, na Cúria Romana, devido à quantidade impressionante das preocupações do substituto deve levar em uma base diária. Cerca comparado a um Chefe de Gabinete da Casa Branca, o substituto encontra-se com o Pontífice geralmente uma vez por dia para administrar assuntos do Vaticano e também levar regularmente relatórios ao Cardeal Secretário de Estado (atualmente o Cardeal Bertone). A frase “sucesso ou fracasso de um papado muitas vezes recai sobre seus ombros”, se pode acrescentar a NCR. E tem acontecido assim sucessivamente,  Giovanni Battista Montini, por exemplo, foi o substituto sob Pio XII 1937-1953, e passou a se tornar o papa Paulo VI; Giovanni Benelli, que foi substituto de Paulo 1967-1977, foi amplamente entendida como o poder por trás do trono “(grifo meu). [iii] Mas se o posicionamento não é um novato Vaticano no papel de substituto para contestar futuras possibilidades papais para o italiano o que Cardeal Bertone estava dizendo, o Papa Bento ainda mais, de modo alinhado ao grupo do tipo de que o próximo papa virá, quando, em 6 de janeiro de 2012 ele nomeou 22 novos cardeais, a maioria europeus, principalmente italianos que já possuem posições chaves no Vaticano . Ao elevar estes conselheiros ao Sacro Colégio dos Cardeais, em uma cerimônia de 18 fevereiro em Roma, o papa alemão certificou que “os europeus seriam agora o número de mais da metade de todos os cardeais eleitores (67 de 125), e quase um quarto de todos os eleitores em um conclave italiano “, relatou Newsmax.com. [iv] Como resultado, Bento parecia colocar seu selo definitivo sobre um sucessor italiano e se alinhou aqueles que poderiam dar a Bertone a chamada cadeira  apostólica de São Pedro. E, evidentemente, isso não foi idéia de Bento, sozinho. A maioria dos especialistas do Vaticano “colocam o grande número de compromissos italianos até a influência do deputado do Papa, Secretário de Estado Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, cuja mão nestas nomeações, dizem eles, é claramente visível.” [V] Também interessante devido a notícia de sua renúncia, pois em Fevereiro houve o consistório de novos cardeais que receberem seus chapéus vermelhos, anéis e atribuições titulares em Roma. Como esperamos que surja o Petrus Romanus: O Papa final  só podemos especular por que a data de fevereiro seria escolhida, mais foi adiada para março.  
Claro, só quando pensei que não poderia ficar mais evidente, um outro e este tempo sem precedentes para consolidar seu poder (e que também levanta a questão de uma terceira pessoa para o trono de São Pedro) foi feita por Bertone. Ele fez em 24 de outubro de 2011, um documento, “Rumo a reforma dos sistemas financeiro e monetário internacional no Contexto de uma Autoridade Pública Global”, que ascendeu a um apelo do Vaticano para uma autoridade política mundial e Financeira. Publicado pelo Conselho Pontifício de Justiça e Paz, que é dirigido pelo cardeal Peter Turkson, a mídia foi muito rápida(inclusive o Apocalink),  dentro e fora do cristianismo, ao ver o lado obscuro do socialismo levantando a sua cabeça, para não mencionar as implicações proféticas de se chamar  uma Autoridade mundial sentado dentro das Nações Unidas. Em um dos  próximos capítulo de Petrus Romanus: O Papa final esta Aqui,  explicamos como esta nova diretiva inquietante tenta conceber um mandato “moral” para o estabelecimento de “uma autoridade pública global” e um “banco central mundial”, que iria supervisionar individual as instituições pecuniários através da submissão a um novo poder mundial feito “à custa de uma transferência gradual e equilibrada de uma parte dos poderes de cada nação para uma autoridade mundial e para as autoridades regionais” (grifo nosso). [vi] O documento foi endereçado em  2011 à Cúpula do G20 em Cannes, mas pelos comentários do presidente Barack Obama e pelo então presidente francês, Nicholas Sarkozy,  não deu em nada lá, devido ao que o Cardeal Bertone fez apenas dez dias depois. E é aqui que as coisas começam a ficar interessantes, como alguns profetas já estavam prevendo que o autor do documento, Peter Turkson de Gana (Pedro, o Romano?). Poderia ser o próximo papa, porque ele é considerado ”Papável” pelo Colégio dos Cardeais. Devido a eleição do primeiro presidente negro dos Estados Unidos em Obama, analistas de todo o mundo começaram a especular que talvez Roma seria seguir o exemplo e estenderia o tapete vermelho para um papa negro, o primeiro em 1500 anos,  alguém como Turkson. Cardeal Francis Arinze, a quem Ronald L. Conte Jr. acredita que será o próximo papa e cumprir “A Profecia  dos Papas”, tendo o nome de Pio XIII, também é um homem negro, um nigeriano considerado Papável bem antes do conclave de 2005 que elegeu o cardeal Ratzinger (Papa Bento XVI). “A eleição de Barack Obama como o primeiro presidente dos EUA Africano-Americano pode pavimentar o caminho para a eleição do Papa Negro, de acordo com que um líder negro americano católico”, escreveu o Times Online, em 2008. “Wilton Daniel Gregory, 60,  arcebispo de Atlanta, disse que no passado o papa Bento XVI tinha sugerido que a eleição de um papa negro seria” enviar um sinal excelente para o mundo “sobre a Igreja universal”. [Vii] A Associated Press concordou. “O papa nomeou o cardeal Peter Turkson de Gana para chefiar a justiça do Vaticano e o escritório da paz, um posto de alto perfil que cimenta a sua reputação como um candidato possível com futuro papal … Turkson disse a jornalistas há três semanas, não havia razão para não haver um papa negro, especialmente depois de Barack Obama foi eleito presidente dos EUA. “[viii] Dado que Turkson é popular em alguns círculos, aqui esta como o ‘National Catholic Report” anunciou o lançamento de seu documento sobre a reforma dos sistemas financeiros internacionais e Monetários em sua outubro , 2011, na manchete: A Contender Papal Grabs,  destaque:
Roma viu uma coincidência impressionante, esta semana, que pode ser tanto com simples coincidência ou um sinal das coisas por vir. Havia duas notícias do Vaticano, nota de segunda-feira sobre a reforma da economia internacional e a cúpula de quinta-feira de líderes religiosos em Assis. Em ambos os casos, o funcionário do Vaticano foi a mesma força motriz:. Cardeal Peter Turkson, de Gana, presidente do Conselho Pontifício Justiça e Paz .
Turkson, ainda jovem, em termos de igreja em 63, foi o principal organizador do encontro de Assis, assim como ele era o top signatário do documento das ideologias “neo-liberais”  e apelou a uma “verdadeira autoridade política mundial” para regular a economia. Durante as conferências de imprensa do Vaticano , Turkson foi a  estrela da vez. 
Pode-se  afirmar que alguém seja… papável? [ix]

Apenas uma semana depois da celebração da  National Catholic Report, no entanto, apenas dez dias após Turkson lançar seu documento pedindo uma autoridade financeira global, uma cimeira de emergência no Vaticano foi chamada pela(você adivinhou…) Secretaria de Estado,  o Tarcisio Bertone, o cardeal . E desta vez  Bertone criticou o documento feito por Turkson e estabeleceu um novo conjunto de leis. Daquele dia em diante, ele ordenou, qualquer novo texto do Vaticano  teria que ser previamente autorizado por ele próprio. O Notícioso ”Chiesa”, muito popular em Roma,  disse desse jogo de poder:
”Precisamente quando a cúpula do G20 em Cannes estava chegando a sua conclusão fracas e incertas, na mesma sexta-feira, 4 de novembro, no Vaticano, uma pequena cúpula convocada pela Secretaria de Estado … Na berlinda estava o documento [de Turkson]  sobre crise financeira mundial , lançado dez dias antes pelo Conselho Pontifício Justiça e paz … O secretário de Estado, o cardeal Tarcisio Bertone, se queixou de que não sabia nada sobre isso até o último momento. E precisamente por esta razão que ele tinha marcado a reunião na Secretaria de Estado. A conclusão do encontro foi que essa ordem  seria transmitida para todos os escritórios da Cúria: a partir desse ponto, nada por escrito seria liberado se não tivesse sido inspecionado e autorizado pela Secretaria de Estado ”[x].
Enquanto Bertone convenceu alguns observadores do Vaticano que os motivos da reunião teve que ver com proteger à Santa Sé deconfusões, alegando que ele havia sido dada à revelia e, assim, la fraudada pela liberação do documento (neste caso, desacreditando totalmente o noticioso Chiesa ), outros viram nesta atitude um passo gigante de Bertone para  solidificar cuidadosamente sua base de poder em Roma. Eles também imaginam que um velho inimigo dos maçons tem algo a ver com isso. “Parece que as forças das trevas do Vaticano estão mexendo seus ”pauzinhos” para assumir o controle da Igreja Católica”, escreveu o católico judeu Aron Ben Gilad. “Eles estão usando o recente documento do Pontifício Conselho de Justiça e Paz sobre a crise financeira global como desculpa para tomarem o controle autocrático de todas as congregações da Cúria e colocá-las sob o controle do cardeal Bertone e da Secretaria de Estado do Vaticano . Independentemente dos méritos ou deméritos deste documento, esta não é a questão importante, mas seu uso como instrumento da alvenaria(maçonaria) eclesiástica para assumir o controle da Cúria Romana “(grifo nosso). [Xi] Observador do Vaticano e jornalista Andrea Tornielli tinha afirmado antes, como Bertone tinha vindo a consolidar a sua influência no Vaticano:
… Através de uma série de ações: nomeou bispos que são bem conhecidos por ele e amigos em cargos-chave, especialmente em posições que envolvem a gestão e controle das finanças da Santa Sé. O último indivíduo nomeado, foi o bispo de Alexandria, Giuseppe Versaldinew,  para o cargo de presidente da Prefeitura dos Assuntos Econômicos da Santa Sé… Por outro lado, Bertone acabou com prelados que se moveram contra ele, de alguma forma ou de outra , como o Arcebispo Carlo Maria Viganò, que tinha deixado no escritório do Governo para tornar-se núncio (embaixador) para os Estados Unidos, ou o bispo Vincenzo di Mauro, que deixou o Gabinete dos Assuntos Econômicos e se tornou Arcebispo de Vigevano. [xii]”
Dado o que temos documentado nas entradas mais recentes, pode-se pensar com alguma certeza que Bertone está muito proeminente para desempenhar seu  papel no fim dos tempos, como futuro Petrus Romanus. No entanto, à medida que avançamos em 2013, rachaduras estão aparecendo de repente na fundação de seu castelo de areia, e nem todo mundo na Cúria, incluindo o Papa Bento XVI, ele mesmo, pode estar tão ansioso para apoiá-lo como antigamente. Então, quem mais está crescendo no radar como concorrente para o Papa Final? Na entrada seguinte, vamos considerar os competidores obscuros no horizonte …

Comente com seu facebook

Comentário

Veja também

Sinais do fim: Rússia exibe ao mundo o Satan 2, seu novo míssil termonuclear

No meio de toda a recente tensão entre Estados Unidos e Rússia – com o …

3 Comentários

  1. A Paz de Cristo!

    Vim conhecer seu blog e logo de cara gostei muito do post, sua forma simples de expor o assunto e ao mesmo tempo profundo, esclarecendo com muita propriedade o tema em questão.

    Espero no meu cantinho, por isso estou deixando o link para visita:
    http://frutodoespirito9.blogspot.com/
    Será uma honra tê-lo como seguidor.

    PARABÉNS PELO BLOG!!!

    Em Cristo,

    ***Lucy***

    P.S. A pouco conheci o blog do irmão Araújo e as mensagens lá postadas são bem interessantes.
    http://discipulodecristo7.blogspot.com/
    Acesse e confira.

  2. Chegueiiii !!! E aí APO ,Vcs estão bem ??? O blog está a todo vapor heim !!!rsrs….Quanto babado pessoal ,e isso porque estamos apenas no 2 mês ,imagine que ainda temos 10 Mesês pela frente…Com relação ao papa ,venha o que vier é osso .Ao meu ver ;Bento foi obrigado a renunciar ,pois é.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *