Principal / CONSTRUÇÕES SINISTRAS / CONSTRUÇÕES SINISTRAS: Réplicas do Templo de Baal são Apresentadas em Nova York e Londres e uma Data Oculta Importante

CONSTRUÇÕES SINISTRAS: Réplicas do Templo de Baal são Apresentadas em Nova York e Londres e uma Data Oculta Importante

No dia 19 de abril de 2016, que é o dia ocultista do “sacrifício de sangue a Baal”, réplicas do Templo de Baal serão apresentadas em Nova York e Londres. Reproduções do arco de 15 metros que formaram a entrada do Templo de Baal em Palmyra, na Síria, serão instaladas na Times Square, Nova York, e na Trafalgar Square, em Londres, no dia 19 de abril. As ruínas da estrutura original foram destruídas pelo ISIS no ano passado.
O Templo de Baal em Palmyra (antes da destruição).
“O templo foi sistematicamente arrasado, com o arco de 15 metros de altura entre os poucos restantes elementos do edifício que ainda estão de pé. O templo, dedicado em 32 d.C., ao deus mesopotâmico Bel, atraiu 150.000 turistas por ano até 2011, quando a guerra civil na Síria começou. As réplicas em escala real, agora em construção na China, vão ficar na Trafalgar Square, em Londres, e na Times Square, em Nova York, durante a World Heritage Week em abril de 2016.

O projeto vem após pesquisadores do Instituto de Arqueologia Digital – um esforço da Universidade de Harvard, Universidade de Oxford, na Grã-Bretanha, e do Museu do Futuro de Dubai – embarcarem em uma “Projeto Imagem Milhão” para obter dados fotográficos em 3D para reconstrução do arco digitalmente. Os modelos de grande escala estão sendo recriados com a maior impressora 3D do mundo, e feito de pó de pedra e materiais compostos. As estruturas serão temporárias.


Elas são destinadas a mostrar um desafio contra os esforços do ISIS em apagar a história pré-islâmica do Oriente Médio e para demonstrar como a nova tecnologia pode ser usada em arqueologia.”
– UPI, Palmyra, Syria, Arch Threatened by Slamic State to Be Recreated in London, NYC
 

Apesar das declarações corajosas de “desafio” contra o ISIS e histórias comoventes sobre o significado emocional do templo para os moradores, nos meios de comunicação, há muito mais em jogo aqui. O ISIS também destruiu as antigas cidades de Nimud e Hatra no Iraque, o santuário Shagraf e o mosteiro St. Elian em Homs – mas é o Templo de Baal que está sendo homenageado, nos dois “pontos de energia” mais significativos do mundo hoje. Por quê? Porque Baal é uma figura importante na mitologia da elite oculta. E ele é comemorado em um dia específico e violento. O Culto a Baal Nunca Morreu  Baal (também conhecido como Moloque/Enlil) é um deus antigo que era adorado por civilizações em todo o Levante.

Baal era o nome do deus supremo adorado na antiga Canaã e Fenícia. A prática do culto a Baal infiltrou-se na vida religiosa judaica durante o tempo dos juízes (Juízes 3:7) e tornou-se comum em Israel durante o reinado de Acabe (1 Reis 16:31-33) e também afetou Judá (2 Crônicas 28:1-2). A palavra Baal significa “senhor”; o plural é Baalim. Em geral, Baal era um deus da fertilidade, que se acreditava permitir que a terra produzisse plantações e pessoas procriassem. 
-gotquestions.org, Who was Baal?

O culto a Baal era particularmente brutal visto que envolvia sacrifícios humanos – especialmente os de recém-nascidos.


O culto a Baal estava enraizado na sensualidade e envolvia a prostituição ritualística nos templos. Às vezes, para apaziguar Baal era necessário sacrifício humano, geralmente do primogênito daquele que estivesse fazendo o sacrifício (Jeremias 19:5). Os sacerdotes de Baal recorriam ao seu deus em ritos que incluíam gritos de êxtase e lesões auto-infligidas (1 Reis 18:28). 


-Ibid.


Sacrifício de crianças a Baal/Moloque. 

Passagens bíblicas antigas descrevem claramente sacrifícios humanos feitos para Baal.

 
“E eles edificaram os altos de Baal, que estão no Vale do Filho de Hinom, para fazer com que seus filhos e suas filhas passem pelo fogo a Moloque” (Jeremias 32:35).
 
 
 
“Eles edificaram os altos de Baal para queimarem seus filhos como oferta a Baal” (Jeremias 19:5).

A elite oculta de hoje ainda observa esses ritos, mas com uma grande diferença: eles agora são realizados sobre os civis inocentes e se espalharam pelo mundo através dos meios de comunicação. Alimentados e amplificados pelo medo e pelo trauma das massas, esses mega-rituais são vistos por todos, mas apenas celebrados pela elite oculta. Mais do que nunca, estamos lidando com Magia Negra.

19 de abril – Sacrifício de Sangue à Besta 

Três anos atrás, publiquei um artigo intitulado Fim de abril: Época de Sacrifício Humano onde expliquei como a segunda quinzena de abril foi um período particularmente “mágico” e violento que culminou no 1º de maio – o feriado Mayday no hemisfério norte. A data oculta de 19 de abril foi especificamente mencionada.

 
 
19 de abril a 1º de maio – Sacrifício de Sangue à Besta, um período de 13 dias mais críticos. Sacrifício de fogo é requerido em 19 de abril. 19 de abril é o primeiro dia dos 13 dias de rituais satânicos relativas ao fogo – deus do fogo, Baal, ou Moloque/Ninrode (o deus Sol), também conhecido como o deus romano, Saturno (Satanás/Diabo). Esse dia é um grande dia de sacrifício humano, exigindo-se sacrifício de fogo com ênfase em crianças. Esse dia é um dos mais importantes dias de sacrifício humano, e assim alguns eventos históricos muito importantes têm ocorrido nesse dia. 
– Occult Holidays and Sabbaths, Cutting Edge

 Aqui está uma pequena lista de eventos terríveis que ocorreram durante a segunda quinzena de abril.

  • 19 de abril de 1993 – Massacre de Waco: Um ataque do FBI causou o incêndio do composto de uma seita chamada Branch Davidians, matando 76 homens, mulheres e crianças.
  • 19 de abril de 1995 – atentado de Oklahoma City – 168 pessoas mortas.
  • 20 de abril de 1999 – Massacre de Columbine High School – 13 pessoas mortas, 21 feridos. 16 de abril de 2007 – Massacre de Virginia Tech – 32 mortos, 17 feridos. 
  • 16 de abril de 2013 – Explosões na Maratona de Boston – 3 mortos, 107 feridos. 
  • 18 de abril de 2013 – explosão de fábrica de fertilizantes, Texas – 5-15 mortos (Note que esse evento ocorreu quase exatamente 20 anos após o Massacre de Waco, que é na mesma área. Além disso, em 16 de abril de 1947, um navio carregado com nitrato de amônia atracou no porto de Texas City e explodiu em chamas, causando uma enorme explosão que matou cerca de 576 pessoas).

Sabendo desses fatos, será uma coincidência que uma réplica do Templo de Baal será erguido no dia 19 de abril? A elite oculta é toda voltada a simbolismo e numerologia. Nada é coincidência.

A Elite Oculta Comemora 

No dia 19 de abril, réplicas da entrada do Templo de Baal serão apresentadas nas duas mais “poderosas” e visitadas praças no mundo hoje: Times Square e Trafalgar Square. Essa celebração de uma semana de Baal acontecerá durante o seu próprio “feriado”, que é muitas vezes celebrado com a morte. Nesse atitude ousada, a elite oculta está mostrando sua verdadeira face e simbolicamente convida o mundo para entrar na porta de seu mundo oculto obscuro.

Então, não. Isso não se trata de “arquitetura” ou “desafiar o ISIS”. Várias ruínas antigas de valor inestimável foram destruídas por vários grupos islâmicos nos últimos anos. Apenas Baal vai continuar em pé em Nova York e Londres.

Comente com seu facebook

Comentário

Veja também

Construções Sinistras: George Washington Masonic National Memorial

Nesta série Construções Sinistras discutimos a ligação entre os Illuminati (maçons) e conhecimento secreto, códigos …

2 Comentários

  1. Aconteceu ataque hoje! dia 19/04/2016 7 mortos e + de 300 feridos.

  2. Acredito que eles existe
    mas se é com a permissão de deus
    é melhor ficar com eles viver
    como xuxa ,Silvio santos,pele,neimar.etc…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *