Principal / GUERRA / Sinais do do fim: Guerras no Oriente Médio são sinais do apocalipse, crêem evangélicos

Sinais do do fim: Guerras no Oriente Médio são sinais do apocalipse, crêem evangélicos

Pesquisa mostra que 81% dos evangélicos creem que Cristo voltará em breve

Guerras no Oriente Médio são sinais do apocalipse, creem evangélicos

Guerras no Oriente Médio são sinais do apocalipse

Quase oito em cada 10 evangélicos dizem acreditar que as guerras religiosas que ocorrem no Oriente Médio são uma indicação que o arrebatamento está no horizonte. É isso que aponta uma nova pesquisa divulgada na última sexta o Instituto Brookings.

A instituição monitora a política do Oriente Médio e fez uma pesquisa em diferentes estados americanos. Questionados sobre a situação atual do mundo, 79% dos que se identificam como evangélicos dizem acreditar “que a violência atual em todo o Oriente Médio é um sinal que o fim dos tempos está mais perto.”

Entre os entrevistados que afirmam ser cristãos, mas não evangélicos (católicos e não praticantes), apenas 43% acredita que o quadro atual é um indicativo do apocalipse. A margem de erro é de 3%, para mais ou para menos.

Susan Glasser, que coordena o núcleo de política externa do Instituto, afirma: “Esses números são muito marcantes, pois se encaixam com a teologia do final dos dias que as pessoas dizem acreditar”.

A pesquisa também indica que 72% dos cristãos em geral e 81% dos evangélicos creem que Cristo voltará em breve, mas não tem certeza de quando isso vai acontecer. Para 5% de cristãos em geral e 12% dos evangélicos, Cristo retornará enquanto eles estiverem vivos.

Além disso, 75% dos evangélicos e 55% de cristãos em geral entendem que para Cristo voltar, “algumas coisas precisam acontecer em Israel antes”.

Diante da afirmação “Para o arrebatamento ou Segunda Vinda ocorrer, é essencial que o atual Estado de Israel tome posse de todas as terras que foram prometidas ao Israel bíblico do Antigo Testamento”, 63% dos evangélicos e 51% de cristãos em geral concordam com ela.

Na mesma pesquisa, quando questionado sobre o “líder mundial que você mais admira”, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu foi o mais citado pelos evangélicos (16%).

Os dados da pesquisa do Instituto Brookings foram debatidos no Carnegie Endowment for International Peace, em Washington esta semana. Shibley Telhami, uma das painelistas é membro da Brookings. Ela disse à plateia que os evangélicos nem sempre foram tão favoráveis ​​a Israel e aos judeus, mas que isso vem mudando nas últimas décadas.

Fonte:  Christian Post

Comente com seu facebook

Comentário

Veja também

SINAIS DO FIM: Policiais de Israel preparam esquema de segurança para vinda do Messias

O comissário Roni Alsheikh, Chefe do Departamento de Polícia de Israel, anunciou semana passada que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *