Principal / ATENTADO TERRORISTA / Os ataques em Paris foram previstos na capa da revista The Economist em Janeiro de 2015?

Os ataques em Paris foram previstos na capa da revista The Economist em Janeiro de 2015?

 

A revista The Economist publicou em janeiro uma capa enigmática intitulada “O Mundo em 2015”, que incluiu várias imagens enigmáticas. Será que a revista previu ambos os ataques terroristas em Paris em 2015?

Na sequência dos terríveis atentados de Paris que custaram a vida de centenas de pessoas inocentes, uma cobertura específica da revista The Economist imediatamente me veio à mente.

No começo de 2015, publiquei um artigo intitulado Capa da Revista “The Economist 2015” está Repleta de Símbolos Ocultos e Previsões Sombrias, que analisou as suas muitas mensagens. Na verdade, a capa da revista com o nome “O Mundo em 2015” continha várias imagens estranhas e sinistras que apareceram para anunciar um ano violento. Considerando o fato de a revista The Economist ser parcialmente propriedade da família de banqueiros Rothschild da Inglaterra e seu editor-chefe, John Micklethwait, atender a Conferências Bilderberg, deve-se tomar cuidado com avisos emitidos por aqueles que podem torná-los realidade. 

Para uma análise detalhada desta capa, leia este artigo.
Provavelmente a parte mais enigmática da capa é o canto inferior direito, onde vemos duas setas com números misteriosos, uma pilha de sujeira e um quadro antigo.   
Zoom da parte inferior direita da capa. 

Ao olhar para o que aconteceu este ano, essa parte da capa torna-se bastante preocupante, pois é um pouco profética.

Em primeiro lugar, o quadro ao lado das flechas é o de Leonardo Da Vinci, Belle Ferronière. Esse quadro está atualmente localizado no Museu do Louvre, em Paris.

Em segundo lugar, os números sobre as duas flechas são 11,5 e 11,3. Os dois ataques terroristas de Paris de 2015 ocorreram nos dias 5/1/15 (ou 1/5/15 em inglês), no Charlie Hebdo, e 13/11/15 (ou 11/13/15 em inglês). Os dígitos sobre as flechas podem, portanto, ser reorganizados para se formar ambas as datas. Se alguém for mais longe na numerologia cabalística, ambas as datas somadas resultam no número 12 (1 + 5 + 1 + 5 e 1 + 1 + 1 + 3 + 1 + 5). 

Ambos os ataques foram reivindicados por grupos terroristas islâmicos: Al Qaeda e ISIS. A capa da The Economist caracterizou um homem do tipo ISIS segurando um rifle. 
A maioria das vítimas dos ataques parisienses foram mortas ​​por rifles Kalachinkov. Na capa, oterrorista está cercado de respingos de sangue.

A capa também apresenta o presidente francês, François Hollande Presidente… olhando para outra direção.

Como afirmei no artigo ISIS: Uma Criação da CIA para justificar a Guerra no Oriente Médio e a Repressão no Ocidente, tenho poucas dúvidas de que o ISIS é usado como uma ferramenta para promover a agenda da elite oculta que inclui: invadir a Síria e justificar medidas de vigilância draconianas e táticas de estado policial no Ocidente.

Vamos relembrar os feitos concretos do ISIS este ano. 
 
  •  Justificou a invasão da Síria, finalmente destruindo seu status como uma força regional.
  • Acelerou o êxodo em massa de sírios para o Ocidente
  • Abriu as comportas de refugiados sírios em todo o mundo ocidental (impulsionado pela imagem de um menino morto). 
  • Causou pânico generalizado no mundo ocidental com o ataque terrorista em Paris, justificando mais rígido monitoramento e táticas de estado policial. 
Os noticiários já estão relatando que um dos terroristas de Paris tinha um passaporte sírio com ele e que Hollande está considerando os ataques como um ato de guerra.
Em suma, após culpar o mundo para aceitar milhares de refugiados sírios em todo o mundo, um ataque causa medo, ódio e desconfiança em relação aos sírios e muçulmanos nesses mesmos países.

As coisas estão prestes a ficar complicadas. Mas, por que “eles” propositadamente fazem uma coisa tão terrível dessas para tantas pessoas inocentes? Bem, seu lema é Ordo Ab Chao… Ordem a partir do caos.

CONTINUA…
Fonte:http://www.apocalipsenews.com

Comente com seu facebook

Comentário

Veja também

Revista The Economist faz Previsões Sombrias para 2017 usando Cartas de Tarot

A influente revista The Economist lançou sua tradicional edição de fim de ano, onde prevê eventos …

4 Comentários

  1. Mas no quadro falta Meca – a Babilônia do Apocalipse…

    • Ronie Peterson De Lima Silva

      Porque em sua opinião o islã será a religião global, não a igreja católica, igrejas evangélicas, e outras religiões misturadas, não é mesmo? Sinto te dizer: o islã não é a religião global, e quem inventou isso é um mentiroso.

  2. O que mais pode constar na capa e que ainda não nos demos conta?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *