Principal / Uncategorized / O Mistério da Babilônia Católica

O Mistério da Babilônia Católica

E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo,
dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei  …”     Apoc. 17:1-5
Na
ilha de Patmos, Deus mostra ao apóstolo João a verdadeira identidade da
Igreja que será governante  do mundo na época de Sua segunda vinda. Na
escritura uma mulher é usada simbolicamente para representar esta  igreja, porque  a igreja fiel dos santos é descrita como a noiva de Cristo.
Há uma precisão incrível nesta visão recebida por João séculos antes de tudo se  tornar uma realidade. João  é atraído para a inscrição ousada estampada na testa da
mulher: “MISTÉRIO, A GRANDE BABILÔNIA, A MÃE DAS PROSTITUTAS e das 
abominações da terra” (Apocalipse 17:5).
Vamos agora desmascarar  Igreja Católica Romana e explorar a sua identidade. O Mistério da Babilônia é uma frase-chave utilizada para identificar esta igreja. Começando pelo seu principal culto :  adoração da deusa babilônica Semiramis(Maria) e seu filho Tamuz(Gezuis) , que era proeminente em todo o mundo.
No Egito, ela era conhecida como a “Rainha do Céu”, ela foi a maior e mais adorada de todas as divindades. Durante e após a escravidão no Egito, os israelitas repetidamente afastaram-se do único e verdadeiro Deus, e adoraram a mãe pagã. Sob o nome, “Mãe dos Deuses”, a rainha deusa da Babilônia se tornou um objeto de adoração universal. A mãe dos deuses era adorada pelos persas, os sírios e por todos os reis da Europa e Ásia. Na Grã-Bretanha, os sacerdotes druidas adoravam a Virgo-Patitura como a “Mãe de Deus.”


TÍTULOS DE SEMIRAMIS

GREGO
ROMANO
Deusa do Amor
APHRODITE
VENUS
Deusa da Caça e Parto
ARTEMIS
DIANA
Deusa da Guerra  & Sabedoria
ATHENA
MINERVA
Deusa das coisas que crescem
DEMETER
CERES
Símbolo da Terra Fértil
GAEA
TERRA
Protetor do Casamento e Mulheres, a irmã e esposa de Zeus, na Grécia, a esposa de Júpiter em Roma
HERA
JUNO
Deusa do Lar
HESTIA
VESTA
Esposa e irmã de Kronos
RHEA
OPS

O culto a Maria e Jesus(GEZHUIS DOS CATÓLICOS) o deus-encarnado originou-se do culto pagão de Semiramis e seu filho-deus encarnado. Numerosos monumentos da Babilônia mostram a deusa-mãe Semiramis com seu filho nos braços.
A imagem da mãe e da criança foi tão firmemente arraigada na mente pagã  que, quando a Igreja Católica Romana colocou em cena essas estátuas
pagãs e pinturas sendo meramente renomeadas e adoradas como a Virgem Maria
e seu deus-encarnado filho Jesus. Maria foi então coroada como a Rainha do Céu e a adoraram.
   
Rainha  do Céu e do mundo

Egípcia Ísis e Horus
Rainha da oração do falecido Papa
     O Sinal da Cruz
O que é agora chamado a cruz cristã originalmente não era um emblema cristão em tudo, mas foi o Tau místico dos caldeus e egípcios – a verdadeira forma original da letra T
– a inicial do nome de Tamuz – que, em hebraico, radicalmente o mesmo do  Caldeu antigo, foi encontrado em moedas, foi formada como na figura n. º 1 da xilogravura de acompanhamento e em etrusco e copta como nas fig. 2 e 3. O 
Tau místico era marcado  na fronte dos iniciados nos
Mistérios, e foi utilizado em todas as variedades de formas como um
símbolo  sagrado.
Para identificar Tamuz como o sol ,  se unia às vezes com o círculo do sol, como na figura  n º 4, às vezes ela foi inserida no círculo, como no n º 5. A a cruz de Malta, que os bispos romanos acrescentaram a seus nomes, como símbolo da sua dignidade episcopal, seja a letra T,
pode ser duvidoso, mas não parece haver nenhuma razão para duvidar que a
cruz de Malta seja um símbolo expresso do sol, porque Layard encontrou-o
como um símbolo sagrado em Nínive, em uma conexão como levou-o a
identificá-lo com o sol.

O Tau místico, como o símbolo da grande divindade, foi chamado de “sinal
da vida”, era usado como um amuleto sobre o coração, que marcava as
vestes oficiais dos sacerdotes, como as vestes oficiais dos sacerdotes
de Roma, que era segurado pelos reis em suas mãos, como um símbolo de
sua dignidade ou autoridade divinamente conferidas. As virgens vestais da Roma pagã usavam penduradosem seus colares, como as freiras o  fazem agora.


 
 


 
O Ankh representa os órgãos genitais de ambos os sexos. A cruz em si é uma forma primitiva do falo, e o laço , o útero. Mais uma vez, continuamos com símbolo da cruz como o doador da vida. Sim … mesmo antes disto , foi a cruz um símbolo do falo ou fertilidade. Esta não é a única coisa que o falo tem simbolizado ao longo dos séculos atrás  no  mundo pagão. Também  usado como um símbolo de força.
O CENTRO do selo é o ankh ou Crux Ansata, um antigo símbolo egípcio da ressurreição.
Ele é composto do Tau ou T – em forma de cruz encimada por um pequeno
círculo e é visto frequentemente nas estatuárias egípcias e em parede e
pinturas de túmulos onde é descrita  segurando na  mão. O Tau simboliza a matéria ou o mundo da forma, o pequeno círculo acima dela representa o espírito ou a vida.
Com o círculo de marcação da posição da cabeça, que representa o cubo
místico desdobrado para formar a cruz latina, símbolo do espírito desceu
na matéria e nela foi crucificado, mas ressuscitou da morte e descansa
triunfante nos braços do matador conquistado.
Assim, pode-se dizer que a figura do triângulos entrelaçado colocando o
ankh representa o triunfo humano e o triunfo divino no humano. Como a cruz da vida, o ankh então se torna um símbolo de ressurreição e de imortalidade.

“No entanto, a cruz em si é o mais antigo dos emblemas fálicos, e as
janelas em forma de losango das catedrais são prova de que os símbolos
Yonico sobreviveu à destruição dos Mistérios pagãos. A própria
estrutura da igreja em si é permeada com (o simbolismo sexual) falicismo
. Remover da Igreja Católica Romana todos os emblemas de origem pagã
e impossível …

Acima à direita é um capacete persa  com chifres triplos-retratado no
portão A na cidadela do rei Sargão II (721-705 aC), em Khorsabad
(Iraque).   Esta pode muito bem ser a origem da tiara papal de três camadas, como afirma a Enciclopédia Católica.
Sete tiaras triplas exibidas da Sacristia Papal da Capela Sistina (sala do Copricapi). Da esquerda para a direita são eles:
1922 tiara de Pio XI.
1903 tiara de Leão XIII.
1887 neo-gótico tiara de Leão XIII.
1871 tiara de Pio IX.
1834 tiara de Gregório XVI.
1805 tiara de Pio VII.
1820 de pano tiara de Pio VII.

Uma jóia incrustada na tiara triregnoque é regularmente utilizada para coroar a estátua de Pedro, na Basílica de São Pedro.
        1922 tiara de Pio XI   usado por João XXIII
 
                                                       
1805 tiara do Papa Pio VII

Santíssima Eucaristia como sacramento  
HOST
(Do Dicionário de Imagem Católica)
O Mitraísmo era popular no Império Romano e muitos imperadores praticavam, e não apenas a população. Ele tinha sete sacramentos, o mesmo da Igreja Católica, o batismo, a comunhão com pão e água. A Eucaristia era assinada com uma cruz, um antigo símbolo
fálico que se originou no Egito, e da cruz egípcia (o ankh) ainda mostra
a forma original que incluía o símbolo do sexo feminino.
Tais
ritos eram conhecidos em Roma, como evidenciado a partir da pergunta
retórica de Cícero sobre o grão de Ceres e o vinho de Baco. No mitraísmo, uma refeição sagrada de pão e vinho era celebrada. “Mitraísmo
tinha uma Eucaristia, mas a idéia de um banquete sagrado é tão antiga
quanto a raça humana e existiu em todas as era e entre todos os
povos, diz a Enciclopédia Católica. (Volume 10, p.404 artigo sobre o mitraísmo.)
No Egito, um bolo era consagrado por um sacerdote e era suposto  ser a carne de Osíris. Este, então, comeu e bebeu do vinho foi tomado como parte de um rito. Mesmo
no México e América Central entre aqueles que nunca ouviram falar de
Cristo, a crença na alimentação da carne  de um deus foi encontrada. Uma
vez que, sacerdotes pagãos comiam uma porção de todos os sacrifícios,
em casos de sacrifícios humanos, os sacerdotes de Baal eram obrigados a
comer carne humana
. Assim, “Cahna-Bal” é o sacerdote de Baal, proporcionando-nos para a nossa palavra moderna para “canibal”.
Durante
a missa, os membros da Igreja Católica Romana que ficam em  posição
pode vir para a frente e ajoelhar-se diante de um sacerdote que coloca
um pedaço de pão na boca, pão  que se tornou um “Cristo”. Este pedaço de pão é
chamado de óstia “.  A
Enciclopédia Católica diz que a óstia “tem sido objeto de um grande
número de milagres”, incluindo o pão sendo transformado em pedra e de
acolhimento, que sangrou e continuou a sangrar.    (Vol. 7,   p art 489. Host)
A IHS iniciais representam a trindade egípcia de “Isis, Horus, Seb”, isto é,
da Mãe da Criança, e  o Pai dos deuses.
A óstia fina e redonda, cuja circularidade é tão importante como um
elemento no Mistério romano, é apenas um símbolo para o outro Baal, ou do
sol.
Sabemos que os bolos eram usados ​​nos ritos dos antigos mistérios do Egito. Em 1854 um antigo templo foi descoberto no Egito com inscrições que mostram  bolos redondos sobre altares.                                              
   
Depois que o pão é transformado em Cristo,  é então colocado em um centro de um  ostensório e o sacerdote  se dobrará em adoração da hóstia  como se fosse o proprio Deus! A Enciclopédia Católica diz:  
“Na ausência de prova das Escrituras, a Igreja encontra um mandado
para, e uma propriedade render culto divino ao Santíssimo
Sacramento, na tradição  antiga e constante …” (vol 5 p 581,
Eucaristia)
                                   
Imagem EGÍPCIA do sol
   
Esta é o reverso de uma medalha papal cunhadas por Pio XI em 1929 para
comemorar o Tratado de Latrão, que restaurou a soberania papal e fez da
Cidade do Vaticano um Estado independente
.A  Eucaristia aparece no céu acima do Latrão e basílicas de São Pedro, sobre o cálice da Missa
                               
No grande templo de Babilônia, a estátua de ouro do Sol foi exibido para o culto dos babilônios. No templo de Cuzco, no Peru, o disco do Sol foi fixado em chamas de ouro em cima do muro que todos que entravam poderem se  curvar diante dele. O Paeonians da Trácia eram adoradores do sol, e em sua devoção adoravam uma imagem do sol na forma de um disco no topo de uma vara comprida.
Na adoração de Baal, como praticado pelos israelitas idólatras nos dias de sua apostasia, a adoração de imagem do sol foi igualmente observado, e é chocante descobrir que a imagem do sol, que a apóstata Israel adorou, foi erguida acima, no altar.
                         Dagon o Peixe-Deus


                                                 

Dagon, o peixe-deus, que representava divindade . Como o Papa tem a chave do Janus, então ele usa a mitra de Dagom. As escavações de Nínive colocou isto além de qualquer possibilidade de dúvida. A mitra papal é totalmente diferente da mitra de Arão e dos altos sacerdotes judeus.

Mitra tinha um turbante. A mitra de dois chifres(Ou duas abas. ou uma espécie de boca),
que o Papa usa, quando ele senta no altar-mor em Roma, e recebe a
adoração dos Cardeais, é a mitra era muito usado por Dagon, o deus-peixe dos
filisteus e babilônios
. Havia duas maneiras pelas quais Dagon era representado antigamente .  Quando ele era descrito como meio homem meio-peixe, a parte
superior era totalmente humana, a parte em que termina em uma  cauda de um
peixe. A outra era, quando, para usar  “a cabeça do peixe formado uma mitra
acima da do homem, enquanto a sua escamosa  cauda caia como
um manto por trás, deixando as pernas e pés humanos expostos. ”
A forma de Dagon  dá uma representação em seu último
trabalho, e ninguém que examina sua mitra, e compara com a do  papa , pode duvidar por um momento que originou-se  partir daquele, e nenhuma outra fonte, tem a mitra pontifícia .
Das mandíbulas escancaradas da cabeça dos peixes  em
Nínive são a contrapartida inconfundíveis com a mitra do Papa em
Roma.
    
  A mulher (igreja) vestida de vermelho e roxo.
Apoc.17:4 E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata,
e adornada com ouro e pedras preciosas e pérolas, com um cálice de ouro
na mão cheia de abominações e da imundícia da sua prostituição;

Aqui você pode ver o Papa vestindo roxo e um arcebispo
vestindo avermelhado- purpura. O Papa João Paulo II celebrou  missas na
Basílica da Ressurreição em Jerusalém no domingo, 26 de março, 2000,
vestido com um manto roxo e quaresmal ,uma mitra aparadas com vermelho
escarlate.
Apoc. 17:4 E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata,
e adornada com ouro e pedras preciosas e pérolas, com um cálice de ouro
na mão cheia de abominações e da imundícia da sua prostituição.
Janus & Jani
 
Janus: na religião romana, é o espírito animista das portas (januae) e dos arcos (jani). O culto de Janus tradicionalmente datada de Romulus e um período ainda antes da fundação real da cidade de Roma.
Havia muitos jani (ie, portais cerimoniais), em Roma, estes geralmente
eram independentes das estruturas que foram usadas para entradas ou
saídas simbolicamente auspiciosas.
Esta Superstição particular foi anexado à saída de um exército romano, para o
qual havia maneiras de dar sorte e azar para marchar através das Janus.
O Janus mais famoso de Roma foi o Geminus Janus, que foi realmente um santuário de Janus no lado norte do Fórum. Era uma estrutura retangular simples de bronze com portas duplas em cada extremidade.
Tradicionalmente, as portas deste santuário foram deixadas em aberto em
tempo de guerra e foram mantidas fechadas quando Roma estava em paz.
De acordo com o historiador romano Tito Lívio, os portões foram
fechados apenas duas vezes em todo o período longo entre Pompilius Numa
(7 º século aC) e Augusto (1 º século aC).
Alguns estudiosos consideram como o deus Janus de todos os começos e acreditam que sua associação com portas é derivado. Ele foi invocado como o primeiro dos deuses em qualquer liturgia regular. O início do dia, mês e ano, tanto de calendário e agrícolas, eram sagrados para ele. O mês de janeiro é nomeado para ele, e seu festival foi realizado em 09 de janeiro, o Agonium.
Havia vários templos importantes erguido para Janus, e supõe-se que
também houve um culto no início do Janículo, o que levou os antigos o significar de “a cidade de Janus”. (Britannica)
Janus era representado por uma cabeça dupla face, e ele era representado na arte com ou sem barba. Ocasionalmente, ele foi descrito como tendo quatro faces – como o espírito do arco de quatro vias.
Agora, o que significa o nome Janus? Esse nome, como mostra Cornificius em Macróbio, foi devidamente Eanus, e em Caldeu antigo, E-Anush significa “o Homem”. Esse nome foi muito usado para  descrever a besta babilônica que sai do mar (Apocalipse), quando ela faz sua primeira aparição.
O nome, tal como consta do grego como Berosus, é O-annes, mas esta é
apenas a maneira do que muitos podem esperar “He-Anesth”, “o homem”, em grego. He-siri, em grego, torna-se Osíris, e He-sarsiphon, Osarsiphon e, da mesma maneira, He-anesh naturalmente se torna Oannes. No sentido de um “homem-deus”, o nome de Oannes é tomado por Barker (Lares e Penates).
Encontramos a conversão do H ‘em O’ entre os  os irlandeses, o que é agora O’Brien e O’Connell foi originalmente
H’Brien e H’Connell (Esboços da História da Irlanda).

E o nome Anush, ou “o Homem”, foi aplicada ao Messias babilônico, como identificando-o com a semente prometida da mulher. O nome de “Homem”, como aplicado a um deus, destinava-se a designá-lo como o “deus-homem.”
Vimos que na Índia os hindus Shasters , que a fim de pedir
aos deuses para vencerem seus inimigos, era preciso que o Sol, a
divindade suprema, deva ser encarnado, e nascido de uma mulher. As nações tinham uma lenda clássica, precisamente a mesma natureza. “Houve uma corrente   tradição no céu “, diz Apolodoro,” que os gigantes nunca poderia ser conquistados, exceto com a ajuda de um homem.
Que o homem, que se acreditava ter conquistado os adversários dos deuses, foi Janus, o deus-homem.
Em conseqüência de seu caráter assumido , Janus foi investido
de altos poderes , se fez o porteiro dos portões do céu, e o árbitro dos
destinos dos homens .
Deste Janus, este  “homem” babilônico, o Papa, como vimos, é o
representante legítimo; sua chave, portanto, que ele carrega, com o de
Cibele, sua mãe-esposa, e a todos as suas pretenssa blasfemias ele nesta
horas reivindica.
O próprio fato de, então, que o Papa funda a sua pretensão de ter homenagem
universal sobre a posse das chaves do céu, e que em um sentido que lhe
dá poder, desafiando todos os princípios do cristianismo, para abrir e
fechar as portas de glória,
segundo a sua vontade soberana a seu bel prazer, é uma prova
impressionante e adicionais que ele é a cabeça da besta que emerge do mar, cujo
número, como identificado com Janus, é o número de um homem, e  exatamente a 666.
Símbolo das chaves para o Céu O símbolo do Vaticano

A taça da doutrinação da fornicação feita de ouro
(Ap 17:4), “fazendo todas as nações embebedaram com o vinho da sua prostituição”
(Ap 17:2; 5; 18:3), é divinamente chamado “Mistério, Babilônia, a Grande”
Na prova principal da personalidade babilônica da Igreja Papal, o primeiro
ponto para o qual eu solicito a atenção do leitor, é o caráter do
mistério que atribui tanto ao sistema romano moderno e quanto aos  sistemas antigos
babilônios. É gigantesco sistema de corrupção moral e de  idolatria descrito nessa
passagem sob o emblema de uma mulher com um “copo de ouro na mão”  
        
                
Quinhentos
diamantes incrustados este cálice dourado, usado pela primeira vez pelo
Papa Pio IX em 08 de dezembro de 1854, na Missa de proclamar a
Imaculada Conceição de Maria.
E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com
ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro
cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição;(Ap 17:4)

o catolicismo romano se tornou o líder ecumênico em um movimento para
unir não só os irmãos separados do protestantismo, mas todas as
religiões do mundo em um mundo novo igreja.
 
Desde o início sob Constantino, quando as estátuas de Ísis e Horus
foram renomeadas Maria e Jesus, e do Papa Leão I (440-61) se gabou de
que São Pedro e São Paulo tinha substituído Rômulo e Remo como patronos
proteção de Roma.
João Paulo II tinha viajado o mundo para promover a tolerância tradicional do catolicismo das religiões pagãs. Nas
Universidades de Calcutá e Nova Deli, em 1986 a sua visita à Índia, o
papa disse ao público enorme Hindu que ele não tinha chegado lá para
ensinar-lhes qualquer coisa, mas de aprender com sua “herança
espiritual”. Como
o ecumenismo mundial de um diplomata, ele passou a declarar, a
missão da Índia … crucial, devido à sua intuição da natureza
espiritual do homem. De fato, a maior contribuição da Índia para o mundo pode ser para oferecer-lhe uma visão espiritual do homem. NOS SEUS MILHÕES DE DEUSES.

Tal elogio do hinduísmo pelo líder da cristandade mundial parece inconcebível. No
entanto, tal aceitação tolerante de todas as religiões é exatamente o
que será necessário para unir a humanidade sob o Anticristo. Nós
não podemos parar o movimento ecumênico, mas temos de resgatar
indivíduos o maior número possível antes que seja tarde demais.
O Papa tem repetidamente feito claras suas intenções. Falando
em Genebra, Suíça, para os líderes do Conselho Mundial de Igrejas
Protestantes representando 400 milhões em todo o mundo, João Paulo II
declarou: Desde o início do meu ministério de Bispo de Roma, tenho
insistido que o engajamento da Igreja Católica no movimento ecumênico é
irreversível.
O Papa também deixa claro que não pode haver qualquer “compromisso sobre a questão da autoridade papal.” No entanto, esse fato parece não deter participação protestante em movimento ecumênico do Papa. Nem tem diminuído o louvor amontoados em cima dele, até por evangélicos proeminentes, por sua “liderança espiritual e moral.” 
João Paulo II continuou a promover abertamente idéias da Nova Era panteísta até antes de sua morte. Embora
o movimento da Nova Era foi exaustivamente exposto por um número de
escritores, seus princípios básicos continuam a ganhar uma aceitação
cada vez maior, mesmo entre os evangélicos, e desempenhará um papel
importante para o Anticristo. Já
em 1961, James I. McCord, presidente do Princeton Theological Seminary,
exortou os cristãos a aceitar como um dom de Deus da Nova Era, com o
seu sincretismo que acompanha do cristianismo e outras religiões. McCord
foi com agrado que “O nosso historiador mais lido, Arnold Toynbee, é um
apóstolo de uma amálgama de cristianismo eo budismo Mahayanian” 4.
O
Papa energético é vários passos à frente de ambos McCord e Toynbee, em
sua diplomacia pessoal com hindus, budistas, muçulmanos e adeptos de
outras religiões. Nem está fora de sintonia com tais eventos da Nova Era como o Instant World de Cooperação e Convergência Harmônica. Como
já apontado anteriormente, João Paulo II promove abertamente a mesma
crença: Isso unidos orações pela paz de todo tipo, de yoga para rituais
de feitiçaria, estão lançando poderosos “energias espirituais” para
curar o nosso planeta. A
Igreja Católica Romana, como o Conselho Mundial de Igrejas, tem vindo a
promover a cooperação global entre todas as religiões por muitos anos.
No outono de 1988, eu adorava a Deus em um templo budista. Como
o cheiro de incenso enchia o ar, ajoelhei-me diante de três imagens de
Buda, sentindo que a fumaça pudesse carregar minhas preces ao céu. Foi para mim um momento sagrado para que eu estava certo de que eu estava ajoelhado em terra santa …. Não vou fazer qualquer nova tentativa de converter os budistas, os judeus, os hindus ou muçulmanos. Eu
estou contente em aprender com eles e caminhar com eles lado a lado em
direção ao Deus que vive, creio eu, além das imagens que se ligam e nos
cegar 
“Sua
Santidade”, o Dalai Lama do budismo tibetano tem sido amigo de
confiança do papa e foi bem recebido pelos líderes católicos ao redor do
mundo.
Em
1979, no início de sua primeira turnê nos EUA, o tibetano Deus-rei no
exílio foi festejado no New Roman catolicismo York marco, a Catedral de
St. Patrick, onde ele participou de um “culto de oração”, descrito pela Time ‘s “festival extraordinário inter-religioso.” Terence Nova York, Cardeal Cooke foi o anfitrião. O
Dalai Lama, que declarou que “todas as grandes religiões do mundo são
basicamente os mesmos”, foi aplaudido de pé pela platéia de cerca de
5.000.  Disse o Cardeal Cooke, que “compartilhava seu
santuário com um rabino e um pastor protestante como bem como seu
convidado budista “:   Este é um dos movimentos dramáticos do Espírito em nosso tempo. Nós fazemos um ao outro bem-vindos em nossas igrejas, templos e sinagogas. 
João Paulo II durante uma oração sincretista encontro com vários falsos
líderes religiosos em Assis, em 1986 – Esta atividade “ecumênica”
sempre foi condenada pela Igreja Católica e, especificamente, rotulado
como uma rejeição completa da Fé Católica pelo Papa Pio XI em 1928. Esta é uma revolução contra a Fé – um novo Evangelho. O que está acontecendo aqui?

Primeira de João Paulo II Assis reunião de oração ecumênica em 1986
 
Serviço de Massa  Paganista  Ecumênico, em Assis.
Adoração indiana              Papa João XXIII com radicais socialistas
                                                                             
Uma bênção pagã para o Papa
 
Papa João XXIII com Lama (líder budista)
                                                             
A cruz invertida é o símbolo do satanismo e uma insígnia do  anticristo.
   
Representantes
católicos e muçulmanos planejam se reunir em Roma na primavera de
iniciar um diálogo “histórico” ​​entre as religiões depois que as
relações  azedaram em 2006 , o Papa Bento XVI comentou sobre o Islã
e guerra santa, aos funcionários do Vaticano, disse.
        
“Estou
erradicar a palavra protestante para fora do meu vocabulário … eu
não estou protestando contra nada … É hora de católicos e não
católicos a se unirem como um só no Espírito Santo e um no Senhor.” – Paul Crouch na TBN

A igreja evangélica hoje está sendo seduzida, como nunca em sua história. Ela enfrenta um perigo tão grave que, deve ser dirigida de novo com uma nova visão e vigor.
Se os evangélicos sucumbirem à sedução, à medida que cada vez mais está
fazendo, então o seu testemunho do evangelho será submerso em confusão e
poderá  eventualmente ser perdido, uma dimensão trágica e nova para
a apostasia da qual a igreja e o mundo nunca irão recuperar.

A vindura   Religião Mundial 
Mais surpreendente e alarmante é o fato de que (com poucas exceções) os
líderes evangélicos e até mesmo os observadores  grandes se recusam
a reconhecer a ameaça. Estou, portanto, obrigado a abordar o assunto mais uma vez com preocupação renovada.

Para negar que o catolicismo romano seja um culto pagão é  repudiar a Reforma e
zombar dos milhões de mártires que morreram nas mãos de Roma
, como se
dessem as suas vidas em vão. Se estivessem Lutero, Calvino e outros Reformadores vivo hoje, eles iriam
denunciar o catolicismo romano como o culto maior e mais perigoso do
mundo!
O desvio católico do cristianismo bíblico , portanto, afeta o destino eterno daqueles que
são enganados dessa forma. Catolicismo Romano rejeita a salvação pela fé e prega um falso evangelho de obras,  que não pode salvar. A  Salvação não está em Cristo, mas na Igreja mediante a apresentação de seus decretos e sacramentos. O Catecismo da Doutrina Cristã Básica chama os sacramentos de  “o principal instrumento de nossa salvação”.
O primeiro dos sete sacramentos é o batismo, que é realizado em 98 por cento dos católicos em  crianças.
É declarado em Canon 849 para ser o meio “, pelo qual homens e mulheres
são livres de seus pecados, renascem como filhos de Deus ….”
O Catecismo Básico declara que o batismo “é necessária para a salvação
… nos purifica de pecado original, nos faz cristãos ….”
Outro sacramento é a Missa, o que o Catecismo declara ser “um e o mesmo
com sacrifício da Cruz que, na medida em que Cristo … continua a
oferecer-se … sobre o altar, através do ministério de seus
sacerdotes.”
Canon 904 afirma que “a obra da redenção é continuamente realizado no
mistério do Sacrifício eucarístico”, negando assim triunfante de Cristo
“Está consumado!”
Deixe-me lembrá-lo das últimas palavras de Hugh Latimer, ditas através
das chamas da fogueira ao seu companheiro que estava ao lado “Esforçai-vos,
mestre Ridley … pois vamos pela graça de Deus a esta luz que brilha no dia  como
uma candeia ‘na Inglaterra ,como eu oro por isto ! “Tragicamente, esta  “iluminação” foi feita por centenas de milhares de mártires fiéis queimados
na fogueira;
Paul Crouch, chefe da maior rede de televisão cristã mundial, humilha
os mártires, chamando a questões dos que morreram por mera semântica, e ele
faz uma paródia dos reformadores ortodoxos, declarando as heresias que
desencadearam a Reforma.
Aqueles que acreditam nas mentiras de Roma e seguem o seu evangelho de obras para a salvação , estão perdidos.
Não reconhecendo este fato, muitos líderes evangélicos e especialistas em
seitas têm-se sido enganados por Roma e precisam ser enfrentados e
informados.
Como é trágico eles assumirem que os católicos são cristãos que têm
apenas algumas crenças periféricas e práticas que parecem peculiares aos
protestantes, mas que não vai impedi-los que eles sejam salvos. Um falso evangelho é um falso evangelho, e condena aqueles que acreditam mesmo pregado por mormonismo ou o catolicismo. Um culto é um culto.
Os católicos romanos, como os membros de outros cultos, precisam ser
tratadas com compaixão, advertidos destas mentiras , e apresentados com ao
verdadeiro  e único evangelho  que pode salvá-los.
Apocalipse 17:05 


”E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra.”
Notas finais
1 “Visão Espiritual do Homem,” L’Osservatore Romano (10 de fevereiro de 1986), 5.
2 O Fresno Bee (13 de junho de 1984), C12.
3 FGBMFI voz ad (Nov. 1981); Foco na Família Cidadã (Junho ’90), 10; Wilson Ewin, “The Spirit of Pentecostal-Charismatic Unity,” Billy Graham citação na Bíblia Batista (janeiro / fevereiro 1980.) 72-89.
4 Tempo (27 de outubro de 1961), 62.
5 Diocese de Newark, The Voice (Jan. 1989).
6 Tempo (17 de setembro de 1979), 96.
7 Newsweek (17 de setembro de 1979), 115.
8 João Cotter, um estudo em Sincretismo (Publicações de Inteligência do Canadá, 1983), 90-91.
9 David Duplessis, como disse a Bob Slosser, um homem chamado Mr. Pentecostes (Logos, 1977), 207-213; Stanley M. Burgess, Gary B. McGee, e H. Patrick Alexander (Dicionário dos Movimentos Pentecostal e Carismático, Zondervan, 1988), 253.
10 Burgess, et al., Op. cit, 125;. Nova Aliança (fevereiro 1973), 14-17.
11 Leon Joseph Cardeal Suenens, Um Novo Pentecostes? (Livros Servo, 1975), 24.
12 Alan Geyer, “isolacionismo religioso: Gone Forever?” (The Christian Century, 23 de outubro de 1974), 980-81.
13 Catholic Register, Toronto, Canadá (21 de setembro de 1974).
14 Our Sunday Visitor (31 de dezembro de 1978).
15 Los Angeles Times (7 de janeiro de 1989, Parte II), 7.

Comente com seu facebook

Comentário

Veja também

Sinais do fim: Rússia exibe ao mundo o Satan 2, seu novo míssil termonuclear

No meio de toda a recente tensão entre Estados Unidos e Rússia – com o …

5 Comentários

  1. A cruz invertida é a cruz de São Pedro, que foi crucificado de cabeça para baixo, pois ele não queria morrer igual seu Mestre. O Papa é o sucessor de São Pedro na Cátedra Romana (se não sabe o que é sucessão apostólica vá estudar sobretudo a Patrística); sendo assim, ele usa o símbolo daquele que o precedeu no Ofício.

    E sobre o Ecumenismo, faça-me o favor! Se o Papa falar a Verdade de que a somente há uma Só Igreja e uma só Fé o acusariam de fanático e de incitar a discórdia e a intolerância às outras religiões. Se ele as respeitae busca uma união para impedir conflitos religiosos, ele está sendo satânico. O que ele deveria fazer, então? Além disso, engana-se vc ao pensar que a Igreja quer formar uma só religião com as outras. Isso é ilógico e vai contra as doutrinas da própria Igreja.

    Largue esse seu fanatismo e sua cegueira e saia você dessa Matrix em que o protestantismo lhe jogou. Veja que que foi pela Igreja Católica que o paganismo foi batido no Ocidente e deu lugar a uma Civilização fundamentada nos valores cristãos. E a onda de neo-paganismo e anti-cristianismo que se arvora coincide justamente com a decadência da influência social e religiosa que o catolicismo detém e com a evasão de seu rebanho. A crescente onda de ateísmo e irreligião também procede da Reforma Protestante> 1º Cristo sim, a Igreja não! 2º Deus sim, Cristo não! 3º Nem Deus e nem Cristo! Pense e reflita e veja que esse mesmo relativismo de que todas as religiões são boas e da pluralidade religiosa teve seu germe e sua mola propulsora no Ocidente no Protestantismo. A divisão doutrinária, a variedade de crenças e fés e a tolerânciaa todas elas é que deram origem à relatividade e subsequentemente à não-religião. Veja toda a história do Ocidente que vc constatará. A profecia sobre o abandono da Fé e esfriamento da caridade se cumpre na Igreja Católica, com seus fiéis deixando seu rebanho e mesmo os que estão dentro praticando coisas que a própria Igreja desaprova.A profecia dos falsos profetas e falsas doutrinas, que enganariam a muitas pessoas com a lábia e grandes sinais se cumpre no Protestantismo.

  2. Amigo, desculpe, mas esse artigo parece ter sido elaborado por um sandeu com sérios problemas psíquicos. Você não enxerga que, ao afirmar que a veneração da Virgem (que está acima de todos os homens e anjos, segundo Lutero e Calvino) vem de semelhantes crenças pagãs, está solapando todo o Cristianismo na esteira?

    Oras, se devo crer que Maria é Semíramis, Ísis ou o escambal, Cristo por sua vez é o próprio Tamuz ou a adaptação de qualquer entidade pagã que tenha nascido de uma mulher com um propósito salvífico.

    Vc demonstra sério desconhecimento da doutrina católica. Chega a chamar a missa de Sacramento! Qualifica a Eucaristia como prática pagã, como se as claras palavras de Cristo no Evangelho e de São Paulo na Epístola aos Coríntios não lhe bastasse para crer! Ademais, o Mitraísmo não possuía Sacramentos e sim estágios de avanço. Quanto à necessidade dos sacramentos para a Salvação não é por terem um fim em si mesmos como feitiços, e sim por serem meios pelos quais a graça de Deus opera. Oras, é pelo Batismo que recebemos o Espírito Santo e somos incorporados ao Corpo Místico de Cristo. Sem isso, como seria possível a Salvação? É pelo Matrimônio que Deus abençoa os casamentos. Viver juntamente sem a benção divina é fornicação, e você sabe bem disso! Entre outros exemplos.

    Oas, se algum símbolos católicos se assemelham a outros símbolos pagãos não indica que estejam adorando as mesmas entidades. Ora! De quê adiantaria a Tamuz ser glorificado como se fosse Cristo? Ora, se se glorifica a Cristo e se desconhece a Tamuz, logo, Tamuz não pode receber adoração a partir daí. Você fala como se em todo lugar que esses símbolos apareçam estejam fazendo referência ao "deus sol", como se os símbolos fossem vivos por si sós!

    Oras, será que todos que usam símbolos e vestes parecidas têm o mesmo propósito? Sempre fazem alusão à mesma coisa? Oras, isso é uma loucura. Antes só se usavam óculos por necessidade, mas hoje também virou acessório de moda. Então será que todos que usam óculos sofrem de miopia ou astigmatismo? Não! Ademais, as cores litúrgicas têm seu significado, como o vermelho que significa o sangue dos mártires que regaram a semente dos cristãos e fecundaram a Igreja. E de que adiantaria um culto velado, escondido sob outro culto? Faça-me o favor. Para um deus ser verdaeiramente adorado/idolatrado, o adorador DEVE saber o que está fazendo e a quem está rendendo adoração, senão não estaria adorando ninguém, pois não se honra o que não se conhece. Então de quê adiantaria aos deuses pagãos serem adorados como Cristo e, segundo sua mente limitada, como Maria?

    Você sabe muito bem, ou ao menos deveria saber, que o Apocalipse de São João NÃO foi escrito para os cristãos de hoje e sim para os cristãos perseguidos na Ásia Menor. Para compreender um texto ou livro bíblico, necessitasse antes de tudo saber por quem, para quem e quando foi escrito. Retirar interpretações assim do próprio entendimento e jogá-las no presente é um anacronismo grotesco.

    A grande prostituta da qual se fala no texto bíblico é a Roma pagã. Era ela o grande Império que disseminava sua cultura pelo mundo conhecido e, acoplada à sua cultura, o paganismo e o culto ao imperador. As cores e vestes descritas eram usadas pelas prostitutas de então, apenas mais um reforço da qualidade de prostituta dada a Roma. O sangue era o dos mártires mortos naquela perseguição. E de fato, como diz o Apocalipse, Roma caiu, foi assolada e as nações oprimidas marcharam sobre ela. A antiga Roma idolátrica, pagã e sanguinária deixou de existir. Ademais, não sabemos quais são os tempos futuros. Essa ideia de que o fim é iminente não é tão sadia. Oras, na virada do Ano 1000 criam os cristãos também estarem às portas da vinda do Anti-Cristo e do Juízo Final.

    (continua)

  3. Só por curiosidade, tendo em vista que procurei e não encontrei, por favor me indique onde podemos ver o original do que foi simplesmente desenhado aqui:

    1. SEMÍRANIS E SEU FILHO DEUS ENCARNADO;
    2. KRSHNA E SUA MÃE;
    3. DEUSA INDIANA E SEU FILHO ISWARA
    4. IISIS E SEU FILHO HÓRUS
    5. DIANA DOS EFÉSIOS (CADÊ O FILHO?)

    Creio que se puser fotos em vez de desenhos, será mais convincente.

  4. Nunca vi tanta bobagem, tanta invenção para difamar a Igreja Católica, a VERDADEIRA Igreja; só podia ser coisa de protestantes, os rebeldes da Igreja Católica.

    • Nunca vi foi tanta gente ignorante e cega que ainda idolatra pessoas que usa roupas e acessórios que representa falsos deuses,e não precisa ser protestante para ver isso basta estudar um pouco o assunto, coisa que você deveria fazer começando pelo livro sagrado a BÍBLIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *