Principal / Uncategorized / Miraa – A Droga Africana

Miraa – A Droga Africana

Catha Edulis, gat o Khat, também conhecida como tschat o simplesmente Miraa. 
É uma planta alteradora
psíquica, um psicotrópico originado nas zonas tropicais da África. Um
pequeno arbusto, que se transforma em uma árvore que pode chegar a medir
até entre 4 e 8 metros e cresce em qualquer tipo de terreno, com pouca
água e sem ter de dispensar tantos cuidados. Trata-se de um estimulante
vegetal natural, mascado em países como Yemên, Etiópia, Quênia, Somália,
Qatar e Outros países árabes vizinhos.

Quando sintetizada tem efeitos similares a Efedrina e Metanfetamina. Produz estímulos do sistema nervoso central e sensação de euforia psíquica.

Alguns países como o Reino Unido optaram pro não proibí-la e seu preço
pode váriar de 3 libras, 300 euros ou 600 dólares o kilo dependendo da
região do planeta em que estiver sendo comercializada.

Lendo assim, parece que se trata de algo inofensivo, mas se você for a
África e buscar entender quais são os mecanismos que mantém aqueles
povos em profunda baixa estima, miséria e pobreza e mais que tudo sem
esperança ou crença na possibilidade de mudanças, encontrará o Miraa e o
álcool como fatores fundamentais no processo de manipulação e
aprofundamento da desgraça do povo africano.

A mistura entre essa duas é fatal para o bom funcionamento do cérebro.
Eu não quis experimentar mascar miraa, mas estive em um centro de
colheita e conversei com pessoas que o produzem assim com usuários que
mascam.

A experiência mais bizarra aconteceu na cidade de Isiolo, onde jovens
com idade entre 14 e 30 anos a comiam freneticamente para não sentir
fome e isso afetava consideravelmente a comunicação entre eles e o
processo de reunir os passageiros e guardar as bagagens.


A mistura com cerveja gera
uma reação de quase alucinação com profunda apatia e preguiça, algo
parecido com os efeitos gerados em quem bebe e usa muita maconha, porém
mais acentuados.

Dizem que no Quênia, o Miraa é exportado para diversos países da região arábe africana devido sua alta qualidade.

É comum ver nas estradas entre uma cidade e outra, caminhonetes em alta
velocidades, carregadas com toneladas de miraa, voando estrada adiante,
na intenção de que o produto chegue fresco ao seu destino.

Movimenta muito dinheiro nas mãos de pessoas bastante pobres o que
óbviamente gera ganância, engano e crueldade. Movimenta a economia de
centenas de famílias humildes que trabalham para que poucas famílias
possam enriquecer, controla a vida de pessoas que vivem em estado de
miséria em distintas regiões do Quênia, principalmente nas regiões
montanhosas. É comum também devido a alta velocidade dos fornecedores e
ao abuso do uso da erva miraa pelos motoristas, acontecer acidentes nas
estradas.

A árvore de Miraa é engraçada, pálida, para mim pareceu uma “bruxa mal
assombrada”, com galhos retorcidos e folhas secas que deixam aparecer
mais os troncos que as ervas. Algumas regiões do norte Queniano tem
estradas e mais estradas com seus acostamentos laterais repletos de
árvores de miraa e dizem seus compradores e usuários que, essas
árvores são tratadas como verdadeiras minas de ouro, a ponto de todos
estarem seguro de que: Qualquer pessoa que adentre os terrenos baldios
onde estão as árvores para colher ou mascar um pouco, sem autorização
dos
chefes desse negócio, corre o risco de ter suas “mãos amputadas,
cortadas fora, para servir como exemplo a outros usuários que pensem
fazer o mesmo.

Centenas e mais centenas de famílias do Quênia dependem do Miraa para
sobreviver e por isso o governo jamais pensou em proibir a Erva como
acontece no Zimbabwe e Zanzi Bar (Tanzânia), pois correria o
risco de com isso criar uma “guerra civil”. Os trabalhadores dessas
regiões mascam miraa o dia todo e ganham uma média de 1 euro por dia
durante a fase de colheita para trabalhar uma média de 8 horas sacando
os galhos das árvores, limpando as folhas, fazendo os maços e deixando a
erva pronta para seus consumidores adquirirem nas diferentes lojas que
vendem o miraa. Aquilo que eles consomem durante o trabalho não é
cobrado.

Quanto mais longe é o destino da erva, pior será a qualidade uma vez que
o Miraa depende de estar fresco para dar o melhor efeito psíquico a
seus usuários. Além de acabar com a sensação de fome (e por isso cada
vez mais cedo os jovens quenianos começam a usar miraa, pois nem todos
ali podem comprar comida ou muitas vezes podem, mas preferem comprar e
beber álcool) 
o miraa também é usado como tônico anti estresse e
quando se mistura com cerveja, anula o efeito dessa, potencializando a
probabilidade dos usuários de Miraa se tornarem alcoólatra, uma vez que
se sentem muito mais fortes diante dos efeitos nocivos do álcool e bebem
muito mais.

Independente da “periculosidade” das drogas,
que no caso do miraa é quase nulo e da grande hipocrisia governamental e
e social por detrás da “não-legalização”, o  atraso de um país como o
Quênia, do ponto de vista da força de trabalho e vontade do povo, pode
ser considerado bastante afetado pelo uso de tal substância, da mesma
maneira que a cocaína, prejudica o desenvolvimento mental e o senso de
cidadania das pessoas de países como Espanha e Estados Unidos.

Por detrás desses mercados, o que existe de verdade, muito mais que
meros “narco-traficantes” com sede de “riqueza” e “poder local” é o interesse de governos e seus serviços secretos de manipular e manter dormente as pessoas do povo que não acreditam na sua capacidade e inteligência para sem ajuda do “governo”, deixarem de ser e viver como “desgraçados”.

Por mais absurdo que muitos possam achar as drogas não são apenas algo
nocivo a saúde das pessoas que tentam em vão se proteger delas, através
de “proibicionismos” preconceituosos estúpidos. Aliás a proibição das
drogas é algo recente em comparação com o tempo de uso que a humanidade
faz delas. Em verdade essa proibição aconteceu apenas para que essas
diferentes drogas “proibidas” pudessem ser mais eficientes enquanto
CONTROLADORES SOCIAIS.
Assim como diversas outras “desgraças”manejadas pela indústria do câncer, da carne e dos fármacos (mentirosamente chamados de “remédios”), o mercado das drogas ilícitas gera muito mais receita do que a simples legalização.

Todos os argumentos que os
“proibicionistas”, “religiosos” e “Moralistas” usam para que as drogas
não sejam legais, como são por exemplo o tabaco e o álcool, são grandes
mentiras e sofismas, que são utilizadas para manter o emprego mentiroso e
desnecessários de divisões policiais, que SEMPRE acabam se
corrompendo e são em verdade os verdadeiros donos das bocas e pontos de
tráfico e os que mais lucram financeiramente com a proibição.

A maioria dos jovens que conheci no Quênia e usavam miraa, tinham seus
olhares perdidos e sem esperança, e curiosamente 8 entre cada 10 deles,
já haviam perdido pelo menos 3 ou 4 dentes de suas bocas. Drogas como
Miraa são plantadas e vendidas no mundo todo para manter as pessoas
baixo controle mental e manter paises ricos em recursos como é o caso do
Quênia, pobres e carentes de um sistema eficiente, adminsitrado por políticos escandalosamente corruptos que contam com o serviço de Igrejas e religiões manipuladoras
que mentem ao povo e usam o cristianismo para manipulá-los e
convencê-los de que devem ser para sempre pobres, mendigos, subalternos,
conformados em “votar” e buscar um trabalho que os permita sobreviver
em condições de extrema miséria, enquanto políticos aumentam seus
salários e banqueiros e empresários criam e administram as regras do
sistema.





O motivo desse texto não é um “moralismo” contra
a erva mascada por certas pessoas do povo africano, mas sim uma crônica
a respeito de como pessoas miseráveis e ignorantes, podem se afundar
mais ainda em suas misérias e ignorâncias, seja através do sistema
dentro do qual vivem e ajudam a sustentar, seja através de seus sistemas
de crenças religiosas manipuladas através de grandes e milenares
mentiras, seja através do vício em uma erva tida como natural e “sem
sequélas”, mas que em verdade padroniza o pensamento dessas pessoas em
miséria e numa falsa noção do que é realidade, do que é ser feliz, do
que é estar vivo e quais são os direitos que todos possuímos pelo
simples fato de sermos Humanos.

Nossa sociedade para evoluire ser mais justa tem 2 caminhos:

Um é a legalização das drogas, não pela alegria de seus adictos e
viciados, mas principalmente pelo fim dos impérios financeiros
construídos pelo narco-tráfico, pelo fim das mentiras e hipocrisias
sociais que movimentam impérios políticos e lobbystas, ao custo de vidas
humanas e manipulam as mentes das massas, seja através de ilusões
proporcionadas pelo poder do tráfico, seja através de medo pela
impotência de seus usuários em mudar essa situação.

E o outro é a disseminação de informação e
formas de tratamentos que permitam as pessoas perceberem os reais
motivos que faz com que elas se droguem e lentamente se suicidem, na
ilusão de que estão “relaxando” ou “se divertindo”. 

O grande mal de nossa sociedade,

mais que os efeitos colaterais e sociais
nocivos das drogas é a mentira que está por detrás de governos e
serviços secretos, que em verdade são os grandes produtores,
exportadores e distribuidores responsáveis  pelo mercado das drogas, que
em alguns paises de maneira direta e em outros de maneira indireta,
através de exércitos, soceidades secretas, serviços de espionagens e
contra-informação, são os grandes artífices patrocinadores do tráfico de
drogas, para o bem da manutenção do sistema por eles criado e
dirigidos. (ordo Ab Chaos – Ordem do Caos)

O Mercado das drogas é o mais rentável mercado entre todos os mercados lícitos e ilícitos. Acreditar
que os governos “combatem” as drogas é apenas a comprovação total de
ignorância a respeito de como o sistema funciona e como as pessoas são
controladas, escravizadas e manipuladas.

Que Deus Abençoe a Todos

Ruy Mendes

Comente com seu facebook

Comentário

Veja também

Sinais do fim: Rússia exibe ao mundo o Satan 2, seu novo míssil termonuclear

No meio de toda a recente tensão entre Estados Unidos e Rússia – com o …

Um comentários

  1. OS TEXTOS DE RUY MENDES SÃO LEGAIS AS VEZES MAS OBSERVO MAIS SABEDORIA HUMANA NELE QUE DIVINA,FILOSOFIA,PSICOLOGIA E OUTRAS IAS.NÃO ADIANTA QUERERMOS CONSERTAR O MUNDO A NOSSA MANEIRA,SÓ DÁ CERTO DO JEITO DE DEUS.APROVAR AS DROGAS E DEPOIS ENSINAR QUE AS MESMAS SÃO PREJUDICIAIS?NÃO ME FAÇA RIR.É A MESMA COISA QUE LIBERAR O USO DE ARMAS E DEPOIS QUERER ENSINAR QUE NÃO DEVEMOS MATAR,QUANTA TOLICE CARA!BEM DISSE O SENHOR: Porque a palavra da cruz é deveras loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.

    19 porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, e aniquilarei a sabedoria o entendimento dos entendidos.

    20 Onde está o sábio? Onde o escriba? Onde o questionador deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo?

    21 Visto como na sabedoria de Deus o mundo pela sua sabedoria não conheceu a Deus, aprouve a Deus salvar pela loucura da pregação os que crêem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *